PROBLEMAS

Os problemas enfrentados pela ex-governadora Wilma de Faria em seu próprio partido, revelam que a mudança de discurso e o…

Os problemas enfrentados pela ex-governadora Wilma de Faria em seu próprio partido, revelam que a mudança de discurso e o alinhamento com antigos adversários, não foram aceitos pela cúpula partidária. Porém, por mais que o PSB e a Rede critiquem a aliança com o PMDB, dificilmente haverá determinação para Wilma romper com Henrique e ser candidata ao Governo. Se ela for, será por vontade própria.

ACERTO

Wilma de Faria tem recebido pressão das bases para ser candidata ao Governo, o que conflita com seu desejo pessoal de ser senadora da República e desfrutar da tranqüilidade de um mandato de oito anos. As bases forçam sem força, porque quem manda no partido é Wilma e ela quer cumprir o acerto que fez com Henrique.

MUDANÇA

Inquestionável dizer que o quadro para Wilma de Faria ser candidata novamente ao Governo do Estado é altamente favorável. Pelo menos na largada, a distância que a separa de eventuais adversários é muito grande. Mas ela também sabe que há riscos variados caso resolva ser cabeça de chapa; riscos de abate em plena campanha por causa dos escândalos e um custo financeiro alto.

DECISÃO

O fato é que Wilma conseguiu um álibi forte para mudar de cenário. Qualquer que seja a desculpa que dará para anunciar seu real projeto para 2014, a mãe de Lauro já tem o discurso pronto, fruto de palavras da cúpula partidária. Se precisar deixar Henrique sozinho para ser candidata ao Governo, basta dizer que seu partido não aceitou a aliança. Se quiser ser a senadora de Henrique, dirá que o PSB respeitou a escolha local. É um chapéu que cabe em qualquer cabeça.

PALAVRA

Quanto ao fato de ter que mudar de posição, isso não é problema para Wilma. Aliás, nem para Wilma nem para a classe política potiguar. Se Henrique, que mamou na gestão de Rosalba até cansar, está dizendo que vai salvar o RN, imagine Wilma, que nunca cumpriu compromisso político com ninguém.

ATRASO

Os eventos dos partidos políticos são marcados pelo atraso dos protagonistas. Pura falta de respeito com o eleitorado, que fica horas esperando para aplaudir o festival de baboseira e mentirada. O comandante do encontro do PR, deputado João Maia, chegou ao América com uma hora e meia de atraso; previsto para começar às 9:00h, Henrique Alves chegou depois de meio dia e Wilma de Faria chegou perto de uma da tarde.

INDICAÇÃO

Circula na advocacia potiguar, informação de que a OAB do RN teria posto como sendo daqui, a advogada Silvana Guerra, de outro Estado, para concorrer à vaga de desembargador federal da 5ª Região. Vários profissionais do RN estão revoltados com essa situação.

Compartilhar:
    Publicidade