Professora confessa abuso sexual em vídeo gravado por aluna

Andrea Cardosa teria abusado de ex-alunas que tinham entre 14 e 18 anos, enquanto lecionava no condado de Riverside, na Califórnia

A ex-professora Andrea Michelle Cardosa, 40 anos, foi presa e acusada de casos de abuso sexual no condado de Riverside, na Califórnia, Estados Unidos. Foto:Divulgação
A ex-professora Andrea Michelle Cardosa, 40 anos, foi presa e acusada de casos de abuso sexual no condado de Riverside, na Califórnia, Estados Unidos. Foto:Divulgação

A ex-professora Andrea Michelle Cardosa, 40 anos, foi presa e acusada de casos de abuso sexual no condado de Riverside, na Califórnia, Estados Unidos. Cardosa recebeu o mandado de prisão pela polícia de Riverside, onde também teria lecionado e abusado de alunas.

De acordo com o Los Angeles Times, uma das vítimas, Jamie Carillo, hoje com 28 anos, gravou uma conversa telefônica em que consegue a confissão da ex-professora – que a teria abusado no final da década de 1990, na escola de Alhambra, em Riverside. Carillo teria 14 anos e cursava a oitava série. Os abusos continuaram até seus 18 anos. O vídeo postado em janeiro no YouTube teve milhares de acessos.

No vídeo, durante nove minutos de ligação, Carillo conversa com a acusada pelo celular. Ela fala sobre como teria sido vítima e de como ainda se sente mal com tudo o que passou. Em um momento, Cardosa teria falado que “não era isso que ela queria ter causado e que sentia muito”.

Depois de ter conseguido a confissão, a ex-aluna encaminhou um e-mail para as instituições em que Cardosa ainda lecionava, que acionaram a polícia.

A detetive responsável pelo caso, Roberta Hopewell, de Riverside, declarou que a ex-diretora assistente confessou os crimes cometidos enquanto lecionava em Perris no condado de Riverside.

Segundo o Los Angeles Times, nesta segunda-feira, Cardosa teve 16 acusações de abuso sexual e de ter mantido atos obscenos com menores, envolvendo duas vítimas. Ela será indiciada nesta quarta-feira, 5.

O advogado de uma segunda vítima, que procurou a polícia depois de ver o vídeo, disse que sua cliente foi abusada em 2009 e 2010, quando cursava o ensino médio em Perris.

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade