Programa de campanha de Dilma usa personagem descoberto por jornal

“Eu, pobre, negro, favelado, faminto, me formei médico. Isso antigamente não era possível. Hoje é”.

Ex-catador de lixo que se tornou médico ganhou destaque na TV (Foto: Reprodução/TV)
Ex-catador de lixo que se tornou médico ganhou destaque na TV (Foto: Reprodução/TV)

No dia 7 de junho, o jornal e o site Correio Braziliense, de Brasília, publicaram uma matéria com o título ‘De lixeiro a médico: brasiliense vence pobreza e se forma em medicina’.

A repórter Maryna Lacerda contou a história de Cícero Batista Pereira, 33 anos. O ex-catador recolhia alimentos e livros do lixo de Taguatinga, cidade pobre do entorno da capital federal.

Com sacrifício, ele conseguiu entrar na faculdade de medicina aos 26 anos. Acaba de se graduar e já trabalha como diretor clínico de um hospital municipal, além de clinicar em outras duas unidades de saúde.

Após a matéria no Correio Braziliense, dezenas de outros veículos de comunicação publicaram entrevistas com o personagem.

Cícero oferece ingredientes infalíveis para fisgar muitos leitores: drama e tristeza, sucesso e felicidade. É difícil ficar indiferente a um relato contundente, que parece criado por um roteirista de cinema.

Na noite de sábado (23), a comovente história de miséria e superação ganhou destaque no programa eleitoral de Dilma, como ilustração dos benefícios do ProUni (Programa Universidade para Todos).

Durante 1 minuto e 5 segundos, o próprio Cícero Pereira contou sua trajetória. Articulado, ele lançou uma frase de efeito capaz de emocionar até o mais impassível telespectador:

“Eu, pobre, negro, favelado, faminto, me formei médico. Isso antigamente não era possível. Hoje é”.

Cada vez mais as campanhas eleitorais deixam de lado a apresentação de promessas infinitas para expor exemplos reais e emocionais, ao estilo ‘gente como a gente’.

Alguns programas eleitorais o fazem com sutileza, outros não resistem a flertar com o sensacionalismo.

Basta abrir os jornais e navegar em portais de notícias para encontrar muitos Cíceros, com histórias igualmente perfeitas para se usar na propaganda política na TV. Os marqueteiros estão de olho nesses personagens descobertos pela imprensa.

A vida real já é um roteiro pronto.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade