Proibidos de fazer greve, Policiais Civis do RN irão dedurar o Estado à FIFA

Uma delas é apresentar a situação da segurança do RN a entidades internacionais e, inclusive, a FIFA e as delegações estrangeiras que terão em jogos em Natal durante a Copa do Mundo

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em assembleia geral realizada na noite desta terça-feira (8), os policiais civis do Rio Grande do Norte traçaram várias estratégias para pressionar o Governo a cumprir a pauta de reivindicações oriundas ainda do movimento grevista realizado no ano passado e que não teve nenhum ponto atendido.

Pontos urgentes como a nomeação dos concursados, melhorias de condições de trabalho e reajuste salarial foram prometidos pelo Governo do RN, mas nenhum deles foi cumprido. Por esse motivo, aliás, os policiais chegaram a realizar uma paralisação de dois dias, no final do mês de março.

Agora, diante de uma determinação judicial que impede a realização de greve por parte da categoria, antes mesmo do movimento ser deflagrado, os policiais se reuniram em assembléia e decidiram agir de outras maneiras não menos incisivas.

A Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública apresentou suas sugestões de mobilizações e também ouviu sugestões da própria categoria e todas foram deliberadas para terem início imediatamente. Uma delas é apresentar a situação da segurança pública do RN a entidades internacionais e, inclusive, a FIFA e as delegações das seleções estrangeiras que terão em jogos em Natal durante a Copa do Mundo.

Desde o mês passado, o SINPOL-RN já havia lançado uma campanha para rádio, TV e outdoors mostrando que a Polícia Civil está presa, enquanto os criminosos estão soltos e que o RN vive um momento de guerra.

A partir desta semana, terá início também campanhas direto nas comunidades, com uso de carros de som nas comunidades, com mensagem sobre o atual quadro da Polícia Civil, bem como serão feitas visitas nas unidades e até mesmo em outras instituições, como por exemplo, universidades.

Os policiais ainda pretendem realizar atos em frente a órgãos públicos, como a própria Governadoria, afixar cartazes com a campanha publicitária as unidades e ainda imprimir panfletos para anexar em todos os BOs confeccionados nas delegacias que são entregues aos cidadãos. O Sindicato vai também confeccionar camisas mostrando a mesma campanha de que a Polícia Civil está presa.

Compartilhar: