Projeto de lei amplia segurança contra a “saidinha” de bancos

Já é lei em Natal e deve virar lei nacional. A obrigatoriedade das instituições bancárias em instalar painéis opacos em frente aos guichês de atendimento (caixas). O deputado federal Paulo Wagner (PV/RN) é o autor do Projeto de Lei, que tramita no Congresso Nacional, determinando aos bancos a instalação destes dispositivos.

Deputado quer nacionalizar lei que implantou em Natal
Deputado quer nacionalizar lei que implantou em Natal

 

Já é lei em Natal e deve virar lei nacional. A obrigatoriedade das instituições bancárias em instalar painéis opacos em frente aos guichês de atendimento (caixas). O deputado federal Paulo Wagner (PV/RN) é o autor do Projeto de Lei, que tramita no Congresso Nacional, determinando aos bancos a instalação destes dispositivos. O objetivo maior, defende o deputado, é ampliar a segurança do cliente e reduzir o número das chamadas “saidinhas” de banco.

O deputado Paulo Wagner demonstra preocupação com o constante volume de roubos e assaltos após a realização de operações bancárias. “Os clientes estão expostos à bandidagem imediatamente após sair das agências. Além de reforçar a segurança fora, os bancos precisam redobrar o cuidado internamente. Crescem no Brasil os assaltos e até mesmo assassinatos de clientes”, denuncia Paulo Wagner ao defender o seu Projeto de Lei 1679, de 2011.

Pela proposta, guichês de caixa das agências e dos postos de serviço bancários, em todo o território nacional, terão que instalar “painéis opacos”, com a finalidade de impedir a visualização por terceiros das operações bancárias efetuadas entre o operador de caixa e o cliente. Assim, Paulo Wagner acredita que será reduzida ou eliminada a operação dos chamados “olheiros”, comparsas que fiscalizam e informam o bandido fora da agência bancária.

Em Natal, a medida de segurança já funciona bem, fruto de um Projeto de Lei do próprio deputado federal Paulo Wagner, quando foi vereador. Nacionalmente, o parlamentar quer que a fiscalização dos estabelecimentos financeiros quanto ao cumprimento fique sob a responsabilidade do Ministério da Justiça, que poderá, para a execução dessa competência, celebrar convênio com as Secretarias de Segurança Pública dos Estados e do Distrito Federal.

Compartilhar: