Projeto espera plantar 3,2 milhões de árvores no Rio Grande do Norte

Escola Estadual Nestor Lima decidiu criar área verde para conscientizar alunos sobre a importância da preservação ambiental

Plantil-de-Arvore-na-Escola-Estadual-Nestor-Lima-JA

Mais carros, mais motos, mais asfalto e menos árvores. Esses são alguns dos fatores que tem levado a cidade de Natal a ter um crescente desconforto térmico apesar da brisa que vem do mar. Para se contrapor a esse cenário de desenvolvimento a qualquer custo, organizações não-governamentais se uniram em torno do projeto Árvore da Paz. O objetivo da iniciativa é plantar uma árvore para cada habitante do Estado.

Na manhã desta quarta-feira (16), alunos da Escola Estadual Nestor Lima, no bairro de Lagoa Nova, aprenderam a plantar e a cuidar de árvores colocando a mão na massa. A programação faz parte das comemorações do mês do Planeta Terra.

Um dos estudantes que participaram do plantio foi Yunes Araújo Silva, que está no terceiro ano do Ensino Médio. Embora nunca tenha tido lições práticas, como o plantio, em outras escolas que passou, o estudante tem cuidado no uso dos recursos naturais. “Sou muito econômico em tudo, energia, água e sempre carrego o lixo até achar uma lixeira para jogar”, declarou.

Yunes Silva teve a ajuda da sua namorada Maria Gabriela de Lima, estudante do primeiro ano do ensino médio. Gabriela, como é chamada mais comumente, já teve maus hábitos que prejudicam o meio ambiente, mas diz que foram corrigidos pela consciência ambiental dos pais. “Quando eu era menor, deixava a torneira ligada enquanto escovava os dentes. Mas meu pai sempre foi ligado a essa questão ambiental”, contou, explicando a origem da sua consciência ambiental.

Os demais alunos e o casal tiveram um rápido treinamento de como se plantar e cuidar de uma árvore com o José Cassimiro da Ong SOS Mangues. Com as covas abertas e as mudas em mãos, o primeiro passo é colocar o adubo orgânico e depois molhá-lo com água. Em seguida, retira-se a proteção plástica da raiz da árvore. Logo após, coloca a muda no buraco tentando centralizar o tronco para que ela não cresça inclinada.

Se houver muito incidência de vento e o tronco for muito fino, recomenda-se um algum apoio de madeira para que a planta não incline. Na sequencia, coloca-se a areia que deve ser prensada. Por último, é preciso aguar a planta e não se esquecer de sempre dar água a cada 24 horas.

Yunes e Gabriela tornaram-se padrinhos do exemplar que plantaram. “O mais importante agora é aguar todo dia”, acrescentou a estudante. “Com muito desmatamento não tem muitas árvores para gerar oxigênio. Isso é muito importante para o futuro”, concluiu Yunes. Embora contribua com a melhora da qualidade de vida no futuro, as árvores jovens trazem melhorias mais imediatas. Durante a fase de crescimento, as plantas “respiram” mais gás carbônico, o principal agente causador do efeito estufa e o aquecimento global no planeta.

Árvores da Paz

O projeto da Ong Baobá e da Ong S.O.S Mangues tem a intenção de plantar um árvore para cada habitante do Rio Grande do Norte. “A gente pretende plantar 3,2 milhões de árvores no Estado. Já conseguimos mais de 3 mil”, disse Haroldo Mota da Ong Baobá. O projeto teve início no ano passado.

Só na Escola Nestor Lima a ideia é plantar entre 30 e 40 árvores, uma vez que a instituição possui amplo espaço de área não construída. Serão plantados exemplares de ipê, pau-brasil e ubaia doce. A ação também contou com o apoio da Ong Horto Pitimbu. “As árvores são o meio mais eficiente para conter o efeito estufa”, acentua Mota.

De acordo com professor de física da Escola Estadual Nestor Lima Rogério Câmara, um dos principais organizadores da ação, os estudantes também plantaram mudas no canteiro central da Avenida Antônio Basílio nas proximidades da instituição de ensino. “Em Natal, temos muitas ilhas de calor com asfalto e paredes e sem árvores”, resumiu a situação que busca mudar.

Compartilhar: