Projeto visa reinserção de dependentes químicos no mercado de trabalho

Comunidades terapêuticas serão implantadas em parnamirim e Macaíba

Projeto-Ex-Cola-no-Rotary-Club---Claudia-Canovar-JA

O Rotary Clube Natal Potiguar e a Associação Internacional de Educadores para a Paz Mundial do RN estão implantando nos municípios de Parnamirim e Macaíba, duas comunidades para tratamento e profissionalização de dependentes químicos. A ação faz parte do projeto EXcola e visa a reinserção dessas pessoas na sociedade, através de um regime de internação de 12 meses, através de diversas modalidades terapêuticas, como esporte, música, atendimento psicológico, capacitação profissional e fomento de empreendimentos individuais para geração de emprego e renda.

No total, 25 homens e 25 mulheres, dependentes de substâncias psicoativas, residentes em Natal e Região Metropolitana, serão beneficiados pela iniciativa. Para participar é necessário que o dependente passe por uma triagem por profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) e seja encaminhado às unidades.

As comunidades são divididas em feminina, localizada em Macaíba, e masculina, situada em Parnamirim. Os locais contarão com apoio de profissionais da saúde e assistentes sociais, e se manterá com o trabalho voluntário dos internos, colaboração de empresas e campanhas de arrecadação de dinheiro.

Em entrevista coletiva, concedida nesta última terça-feira (8), Manoel Gaspar, presidente do Rotary, contou que os recursos para a implantação das unidades terapêuticas vêm de ações e projetos desenvolvidos ao longo do ano. “Atualmente, estamos com a venda de ovos de páscoa, os quais serão comercializados, tanto para empresas como pessoas físicas e os valores arrecadados serão todos destinados para equipar o local” declarou. O presidente do Rotary também explicou que a sustentabilidade do Projeto virá do resultado dos pequenos empreendimentos sociais, criados pelos próprios internos, como venda de produtos in natura da clínica e dos assentamentos agrícolas, venda de polpa de frutas e água de côco industrializada. O Cultivo de Orgânico em 5 hectares, implantado dentro do mesmo lote onde está sendo construída a Comunidade, em Parnamirim, beneficiará também 240 famílias de agricultores rurais de assentamentos agrícolas dos municípios Touros, São Miguel do Gostoso e Pureza através de uma escola de capacitação em agroecologia e incubadora de novos negócios.

Para tratamento e capacitação dos dependentes, o projeto também criará micro indústrias. Até o fim do ano está prevista a inauguração de duas dessas empresas, uma com cultivo de produtos orgânicos e outra com cozinha industrial. Cláudia Canova, idealizadora da iniciativa, afirma que o projeto pretende dar empregabilidade e renda, além de tratamento clínico.

Manoel Gaspar ainda reforça que o desejo é criar um modelo que sirva como exemplo para criação de novas unidades de encaminhamento para usuários de drogas.

Compartilhar:
    Publicidade