Só promessa: obras no Viaduto do Baldo ainda nem sequer começaram

Secretaria de Obras havia anunciado antecipação do início das obras para esta sexta-feira (25), mas não ocorreu

Viaduto-do-Baldo-HD

O cumprimento de prazos não é mesmo o forte da Prefeitura de Natal. O secretário municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Tomaz Neto, afirmou que a construtora BMB retomaria as obras no Viaduto do Baldo ainda hoje. Mas pelo menos na parte da manhã, o canteiro de obras estava deserto.

“A empresa está indo para o canteiro escorar o canal. Com ele escorado, não tem porque não liberar o trêfego”, disse o secretário no canteiro de obras ao lado da Arena das Dunas. Na quinta-feira passada, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) foi notificada da sentença judicial que estabelecia a interdição do trecho das avenidas Deodoro da Fonseca e avenida Rio Branco que passam sobre o canal do Baldo na mesma região do viaduto.

Mas a Semob só começou a interdição na quarta-feira, mesmo assim de forma parcial. Segundo Tomaz Neto, não havia a necessidade do bloqueio do trânsito porque a estrutura do canal do Baldo não apresenta nenhum indício de possível rompimento, como fissuras e afundamentos.

Ainda segundo o chefe da pasta de Obra e Infraestrutura do município, o trabalho de escoramento da estrutura do canal (necessário para dar segurança a estrutura) levará cinco dias, tempo em que ele acredita que o tráfego será liberado. O secretário também já prestou todas as informações técnicas à Procuradoria Geral do Município para que prefeitura recorra da decisão judicial.

Para ilustrar a flexibilidade com que a Prefeitura de Natal lida com prazos, na quarta-feira passada o município anunciou que as obras seriam retomadas no dia cinco de maio. Na quinta-feira, o próprio secretário havia antecipado esse prazo para hoje.

O viaduto com trânsito interditado desde outubro de 2012 também por força de decisão judicial. As obras de recuperação começaram em julho de 2013 e paralisadas em setembro em função de uma discordância no projeto executivo. O ponto de divergência era o “reforço estrutural”, que daria 50 anos de trafegabilidade ao viaduto, mas custaria mais de R$ 3 milhões aos cofres públicos. Por indicação de um dos engenheiros projetistas do viaduto, Hugo Mota, o reforço estrutural foi dispensado e será substituído pela “recuperação” estrutural, o que resultou no crescimento de 24% sobre o valor original de 1,79 milhões.

Conforme o secretário, a empresa terá mais seis meses para finalizar a obra. Conforme o secretário, a “recuperação” estrutural vai garantir mais 20 anos de trafegabilidade ao viaduto e ao canal desde que haja manutenção de dois em dois anos. O viaduto do Baldo foi construído em 1978 na gestão do Prefeito Vauban Farias. O secretário confirma que nunca houve tipo algum de manutenção na estrutura em todos esses anos.

Compartilhar:
    Publicidade