PSB de Mossoró aguarda até 3ª feira para definir sobre substituição de Larissa

TRE julga na próxima semana o recurso dela pedindo o deferimento da candidatura a eleição de Mossoró

54y54y54y54y45y45y4

O PSB em Mossoró vai aguardar até a próxima terça-feira para definir eventual substituto de Larissa Rosado (PSB) na eleição suplementar mossoroense. Nesta data, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidirá sobre o registro da candidatura da deputada estadual Larissa Rosado (PSB). O pedido foi negado pela 33ª Zona Eleitoral e pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Norte. “Até lá, Larissa mantém a candidatura com a mesma motivação”, afirmou uma alta fonte do PSB mossoroense.

“Larissa está sendo injustiçada”, declarou a deputada federal Sandra Rosado (PSB), ao se referir à negativa dada pela Justiça Eleitoral do RN ao registro de candidatura da parlamentar, que disputa pela quarta vez a Prefeitura de Mossoró. De acordo com a deputada federal, foi a prefeita afastada Claudia Regina (DEM) quem deu causa à nova eleição, e não Larissa.

São cotados como possíveis substitutos de Larissa, em eventual confirmação da decisão estadual pelo TSE, a própria Sandra Rosado, o ex-deputado federal Lahyre Rosado e ainda o vereador Lairinho Rosado, todos do PSB.

O TSE deve publicar ainda nesta sexta a pauta do Tribunal para a próxima semana. A expectativa é quanto à entrada em julgamento do recurso de Larissa que pede deferimento do registro de candidatura a prefeita de Mossoró. “Estamos aguardando terça-feira o julgamento do TSE, previsto para ser colocado em pauta. A partir daí pode haver alguma alteração”, admitiu o ex-deputado Lahyre Rosado. “Até lá continua na campanha com o mesmo entusiasmo”, afirmou.

Por ora, oficialmente, o PSB não fala abertamente de possíveis substitutos. “Porque estamos acreditando no melhor, no positivo”, acrescentou Lahyre. Larissa conta hoje com apoios de peso considerável na disputa pela prefeitura mossoroense. Estão ao lado da pessebista partidos como o PMDB do ministro da Previdência, Garibaldi Filho, e do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, o PR, do deputado federal João Maia, além de contar com o apoio da ex-governadora Wilma de Faria (PSB).

Larissa enfrenta, na presente campanha, o prefeito interino, Francisco José Júnior (PSD), e a prefeita afastada Claudia Regina (DEM). Claudia também está impedida de fazer campanha e o DEM poderá indicar o substituto. Ontem, o TSE rejeitou pedido da democrata, alegando que o tribunal só poderia se manifestar sobre a matéria após julgamento do TRE. O processo foi remetido para o órgão estadual. A eleição está agendada para o próximo dia 4 de maio.

Claudia mantém expectativa de candidatura e aguarda TRE

O advogado de Claudia Regina (DEM), Olavo Amilton, afirmou que todas as atenções da candidata estão concentradas para o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, que, na próxima semana, deverá julgar o recurso quanto ao pedido de registro da candidata, negado pela 33ª Zona Eleitoral de Mossoró e pelo próprio TRE em sede de liminar.

Ele disse que Claudia não cogita de pedir anulação do pleito, tampouco tenha suscitado a substituição da candidata. “O clima é de repúdio ao que houve com Claudia e a população a ver como vítima. Ela precisa apenas de dois ou três dias de campanha para conseguir a vitória”.

“Todo nosso esforço está voltado para o julgamento do recurso que vai acontecer na próxima semana. Até lá se aguarda. Não há o que fazer”, afirmou.

Claudia Regina está impedida judicialmente de fazer campanha eleitoral em Mossoró, por decisão do juiz Herval Sampaio, da 33ª Zona Eleitoral, que negou o registro da candidatura da democrata. Nos bastidores, chegou-se a ser anunciada a possibilidade de haver mudança de candidato, o que o advogado nega. “Essa possibilidade de substituição sequer foi cogitada”.

“Não tenho como saber de onde surgiram essas informações. O que afirmo é que isso sequer foi cogitado. Nem no passado, nem presente, nem como programação futura” declarou.

Segundo Olavo Amilton, o registro da candidatura de Claudia foi negado apenas em primeiro grau. “O TSE não se manifestou sobre o recurso, mas quanto a uma liminar sobre propaganda. E o TSE não entrou no mérito, disse apenas que competência para julgar é do TRE. Então vamos concentrar esforços nesse julgamento, que será provavelmente terça-feira”.

Amilton disse esperar que a falta de registro de Claudia seja revertida para que ela se habilite a disputar o pleito suplementar. Ele nega intenção de solicitar, judicialmente, a anulação da eleição suplementar. “Nós não vamos suscitar que Claudia teve prejuízo. Se ela tiver quatro dias de campanha ela vence. O clima é de repúdio ao que houve. A população a ver como vítima”.

Cláudia Regina tem mais duas derrotas na Justiça

A situação da ex-prefeita de Mossoró, Cláudia Regina, do DEM, já está difícil e, a cada dia que passa, está ainda mais complicada. Impedida de fazer campanha, a democrata terá que esperar até o dia 29 para saber se vai ser ou não liberada pela Justiça Eleitoral para, pelo menos, se mostrar como candidata para os eleitores. Detalhe: a eleição já é dia 4 e a propaganda eleitoral já se encerra no dia 1º.

O dia 29 é consequência do adiamento feito pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral, o desembargador Amilcar Maia, que tinha recebido o agravo de instrumento da defesa de Cláudia Regina, e não o julgou. Passou para o juiz Nilson Cavalcanti, que já tem para julgar o recurso movido pela ex-prefeita sobre o não reconhecimento do registro de candidatura dela em Mossoró.

Dessa forma, a previsão é que só na próxima sessão do pleno do TRE, prevista para a terça-feira, dia 29, é que as duas matérias sejam levadas e julgadas. Mesmo assim, ressalta-se, não há previsão que Cláudia Regina poderá fazer campanha a partir de quarta-feira. Afinal, o próprio TRE já a condenou mais de 10 vezes e foi responsável pelo afastamento dela, causando a nova eleição. Além disso, Amilcar Maia já negou a liminar pleiteada pela defesa, mantendo a decisão de não reconhecimento do registro, da 33ª zona eleitoral.

E há outro agravante nessa situação: o Tribunal Superior Eleitoral, para onde a defesa de Cláudia Regina tinha recorrido pela negativa dessa liminar, também a negou. Mandou o pedido de liminar voltar para o TRE, alegando que é da corte potiguar a competência para julgar tal matéria.

Além de Cláudia Regina, vale lembrar, está previsto para terça-feira, também, o julgamento de Larissa Rosado, que não teve o registro de candidatura deferido na primeira instância. A deputada estadual, no entanto, pode fazer campanha.

Compartilhar:
    Publicidade