Quadrilha de irmãos que roubava bancos é presa 24 horas após assalto

Investigadores surpreenderam o grupo com R$ 5 mil em dinheiro

Acusados foram flagrados no município vizinho de Rafael Jambeiro, no povoado de Maracanã. Foto: Divulgação
Acusados foram flagrados no município vizinho de Rafael Jambeiro, no povoado de Maracanã. Foto: Divulgação

Quatro assaltantes foram presos, entre eles três irmãos, menos de 24 horas depois de arrombar caixas eletrônicos de uma agência bancária na cidade de Cabaceiras do Paraguaçu, na madrugada de quinta-feira (8).
Jurandi da Silva Santos Lima, de 30 anos, e os irmãos Adileis, 25, Ednilson, o “Deni”, 28, e Ivaneide Machado Gomes, a “Gatinha”, 29, foram flagrados no município vizinho de Rafael Jambeiro, no povoado de Maracanã.

Investigadores da 4ª Coorpin (Coordenadoria Regional de Polícia do Interior), de Santo Antônio de Jesus, surpreenderam o grupo com duas submetralhadoras calibre 9mm, de fabricação artesanal, dois carregadores municiados com 48 cartuchos, uma pistola calibre  ponto 40, uma pistola 9mm, munição para calibre 45, duas emulsões de explosivos, espoletas para detonação, balaclavas, uma espingarda calibre 12, além de R$ 5 mil, em dinheiro.

Outros dois integrantes da quadrilha, identificados como Adriano Santana Conceição Santos, o “Teca”, e Edison Machado Gomes, o “Gordo”, irmão de Adileis, “Deni” e Ivaneide, são procurados pela polícia.

Segundo informou o coordenador regional, delegado Paulo Roberto Guimarães, o grupo havia fugido para Rafael Jambeiro, a bordo de uma picape, utilizando uma balsa que faz o transporte de veículos entre aquela cidade e Castro Alves, pelo Rio Paraguaçu, onde Jurandi da Silva trabalha como prático.

Ao ser preso, o acusado admitiu ter recebido R$600 para atravessar o veículo e aguardar o retorno do bando, por volta das 4 horas, e que fizera o mesmo trajeto pelo menos quatro vezes somente neste ano, a mando dos comparsas. O prático levou os policiais até a casa de Edison Machado, em Rafael Jambeiro.

Na casa de Machado, os policiais encontraram Adileis e Ednilson, escondendo R$ 5 mil, em dinheiro. No momento da prisão, o celular de Adileis tocou e era a irmã da dupla, Ivaneide, recomendando que o dinheiro fosse levado para outro esconderijo, já que a polícia estava na região. Ivaneide foi presa em casa e as armas utilizadas pela quadrilha estavam escondidas num matagal, nos fundos do imóvel.

Jurandi, Adileis, Ednilson e Ivaneide Machado Gomes foram autuados em flagrante por furto qualificado pelo delegado Paulo Roberto Guimarães e seguem custodiados na carceragem da Coorpin, à disposição da Justiça.

Fonte: R7

Compartilhar: