‘Qual foi o jovem que nunca fez uma orgia?’ diz mãe de preso por homicídio

Danielly Manhaes defende o filho acusado de estupro e assassinato e diz ter provas de que Lucas Manhaes não cometeu o crime

Thiago Rosa e Gabryella Oliveira Bonfim Sampaio. Foto: Divulgação
Thiago Rosa e Gabryella Oliveira Bonfim Sampaio. Foto: Divulgação

A mãe de Lucas Manhaes Brício, de 19 anos, que foi preso acusado de participar do estupro e assassinato de uma jovem em Vila Velha, afirma que possui provas de que o filho é inocente. Em entrevista, Danielly Manhaes, de 35 anos, disse que o filho estava em casa na hora da morte de Gabryella Oliveira Bonfim Sampaio, de 24 anos.

Gabryella foi morta a facadas, após ser torturada e violentada sexualmente por Thiago Sacramento, o namorado da vítima, de 25 anos e Lucas Manhaes. O trio estava bebendo em uma casa de shows, em Vila Velha, no dia 23 de junho, quando seguiram para uma casa no bairro Novo México. Thiago mandou um vídeo para a mãe da vítima, que mostrava Gabryella fazendo sexo com os dois.

Danielly alega que o filho participou da orgia mas não teve participação do crime. Após o ato, o casal teria começado a discutir e Lucas teria ido embora. “Qual foi o jovem que nunca fez uma orgia? Foi um ato de orgia. Eles que chamaram meu menino para ir para lá. Thiago falou que ia chamar mais uma menina para ir no dia, ia ser uma orgia. Ela [Gabryella] abaixou a calça do meu filho e começou a fazer sexo oral nele. Como uma mulher daquela vai ser arrastada para a casa do namorado e vai ser estuprada? Não é o namorado dela?”, indaga Danielly.

A mãe de Lucas ainda disse que o filho não era amigo de Thiago, eles eram apenas conhecidos, e que o casal, que namorava há oito anos, brigavam constantemente. “Ele disse que o Thiago e a namorada começaram a discutir e ele começou a dar uma de doido e pegou e veio embora. Como era normal eles brigarem, como todo mundo via, era normal ele bater nela, seria apenas mais uma briga. Ninguém deduzia que ele ia matar”, disse.

Danielly Manhaes contratou advogado e vai entrar com um pedido de habeas corpus. Na quarta-feira, ela vai visitar o filho pela primeira vez após a prisão. O padrasto de Lucas não está trabalhando, tentou suicídio na manhã desta segunda e se encontrava dopado durante a visita da reportagem.

O caso

Gabryella Sampaio, de 24 anos, foi morta com cinco facadas na região do pescoço, no dia 23 de junho, em Vila Velha. Segundo a Delegacia de Homicídios de Proteção às Mulheres, ela foi torturada e violentada sexualmente por seu namorado, Thiago Sacramento, e Lucas Manhaes.

Gabryella e Thiago namoravam há cerca de oito meses. O casal estava em uma casa de shows, localizada às margens da Rodovia do Sol, em Vila Velha, acompanhado de amigas da jovem. De lá, seguiram para a casa da avó de Thiago onde todo o crime aconteceu.

A polícia investiga a hipótese de crime passional, motivado por traição da jovem. Isso por conta dos xingamentos e ofensas que Thiago dirige a Gabryelle, durante as imagens em que é cometido o abuso sexual. O crime brutal surpreendeu até mesmo a polícia, além da agressão, a vítima teve os cabelos cortados, a faca usada para matá-la introduzida na vagina da jovem e o celular preso em sua boca.

O aparelho celular ainda é analisado pela equipe de investigação da policia para obter possíveis pistas para o crime.

Fonte: IG

Compartilhar: