Rampas para deficientes podem estar fugindo das normas de acessibilidade

Equipamento tem causado até acidentes para quem se arrisca em atravessá-la

Foto: José Aldenir
Foto: José Aldenir

Entrando na etapa final das obras, a reestruturação do calçadão da Praia de Ponta Negra recebeu reformas e adaptações necessárias à acessibilidade de pessoas portadoras de necessidades especiais. Entre as adaptações, sob determinação do Ministério Público, está incluída a instalação de rampas para cadeirantes, permitindo que eles possam descer do calçadão até a areia da praia, por cima do enrocamento. Entretanto, populares afirmam que as rampas não cumprem com a exigência das normas de acessibilidade.

O vendedor ambulante Francinaldo da Silva disse que trabalha há 20 anos na praia e nunca observou tanto risco para os deficientes físicos. “Eu entendo que essa obra deveria ser para melhorar o acesso deles à praia e não atrapalhar”, criticou. Segundo Francinaldo, as poucas rampas espalhadas entre as novas escadarias são escorregadias e não ajudam em nenhuma situação.

“O deficiente visual não consegue descer sozinho. Um cadeirante, mesmo com ajuda de outra pessoa, também não consegue. A pessoa que empurrar o carrinho, não tem controle na hora de descer a cadeira e dificilmente consegue empurrá-la para subir na rampa. Ela é muito escorregadia. Eu mesmo, que estou em perfeitas condições físicas, já escorreguei e me machuquei”, disse, mostrando um ferimento na perna.

O comerciante ainda falou que já presenciou alguns cadeirantes desistirem de descer até a areia da praia por medo de se machucarem. “Quando vejo alguém nessa situação, ofereço ajuda. Mas a maioria dos cadeirantes que passa pela orla prefere não descer até a areia”, destacou.

A 42ª promotoria de Justiça em defesa dos Direitos dos Idosos e das pessoas com Deficiência da Comarca de Natal já está anexando denúncias sobre a inviabilidade das rampas em um processo conduzido pela promotora Marcella de Nóbrega e pode exigir novas adequações. Até o fechamento desta edição, a reportagem não conseguiu contato direto com a promotora para saber o andamento do processo.

De acordo com o secretário adjunto de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi) de Natal, Caio Múcio, até o final deste mês de setembro, quando a obra de toda orla da capital for concluída, duas novas rampas serão instaladas conforme regras de acessibilidade.

“A gente quis modificar o projeto original das rampas que já estão instaladas, mas achamos viável construir duas outras atendendo as exigências necessárias, sendo uma no começo do calçadão, próxima ao Morro do Careca, e outra no final”, afirmou.

Compartilhar: