Reajustes dos combustíveis não serão automáticos

A Petrobras anunciou um aumento do preço da gasolina em 4% e do diesel em 8%

A estatal não revelou a "fórmula" que será adotada para calcular os próximos reajustes da gasolina e do diesel. Foto: Divulgação
A estatal não revelou a “fórmula” que será adotada para calcular os próximos reajustes da gasolina e do diesel. Foto: Divulgação

Os reajustes dos preços de combustíveis não serão automáticos, informou a Petrobras em comunicado ao mercado nesta quarta-feira (4), em resposta a um questionamento da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

O cálculo para determinar os preços dos combustíveis leva em conta o preço de referência dos derivados no mercado internacional, a taxa de câmbio do momento e a origem do produto vendido –se importado ou refinado no Brasil–, segundo a empresa.

A estatal, no entanto, não revelou a “fórmula” que será adotada para calcular os próximos reajustes da gasolina e do diesel.

Na sexta-feira (30), a Petrobras anunciou um aumento do preço da gasolina em 4% e do diesel em 8%. No entanto, a estatal decidiu não divulgar como será a política de reajustes, que causou atritos entre a presidente Dilma Rousseff e a presidente da companhia, Graça Foster.

O Conselho da estatal aprovou a implementação de uma política de preços, mas “por razões comerciais, os parâmetros da metodologia de precificação serão estritamente internos à companhia”, segundo nota distribuída pela empresa na semana passada.

Analistas criticaram essa decisão, alegando que a falta de clareza sobre os critérios mantém incertezas para o mercado. Na segunda-feira (2), as ações da estatal desabaram na Bolsa de Valores.

A Petrobras e o governo estavam estudando o aumento e iriam divulgá-lo na semana retrasada, mas a decisão foi adiada para sexta-feira (30). Também estava sendo avaliada uma nova metodologia de reajuste automático dos preços dos combustíveis, entre outros temas.

 

Fonte: Uol

Compartilhar: