Realmente, foram só 20 centavos

O ano de 2013 está praticamente no fim. E, ao olhar para trás, não há como esquecer a sequência de…

O ano de 2013 está praticamente no fim. E, ao olhar para trás, não há como esquecer a sequência de protestos marcantes no mês de junho, quando milhares de brasileiros foram às ruas protestar contra tantos males que prejudicam o Brasil. Naquela época, se dizia, não era apenas por 20 centavos, valor acrescido nas passagens de ônibus pelo país.

Mas, o tempo passou. E, hoje, parece mesmo que o único ganho de tantas mobilizações foi, somente, a redução das tarifas do transporte público. Pelo menos até agora, é este o único ganho das tantas mobilizações que atraíram a atenção do mundo. A saúde pública continua um caos, a qualidade do ensino baixa e a insegurança crescente. Pior, sem maiores perspectivas de melhora.

Os ônibus que trafegam pelo país ainda são de péssima qualidade, sem oferecer qualquer conforto ou segurança para seus usuários, aumentando assim a procura por veículos próprios e contribuindo decisivamente para os congestionamentos quilométricos. Sem a opção de transporte coletivo, as pessoas precisam, literalmente, se virar, para cumprir com seus compromissos.

Hoje, diante do aparente fracasso dos protestos de junho, é como se o gigante tivesse voltado a dormir em berço esplêndido. Cansado, abatido e derrotado. Até parece que o destino reservou ao Brasil a obrigação de ser, para sempre, terra de poucos espertos e muitos bobos, impostos a condição eterna de subalternos dos poderosos dominantes da política nacional.
Como final de ano é também o período ideal para se renovar as esperanças, o jeito é voltar a acreditar em um futuro melhor, onde o povo volte a ser, novamente respeitado. Com o 2014 prestes a se iniciar, vem aí mais um período eleitoral, época mais do que propícia para se manifestar e cobrar por dias melhores. Ninguém aguenta mais lutar por apenas meros 20 centavos.

 

VOZ DAS RUAS
Em tempo: houveram algumas mudanças que merecem, ao menos, citação, após os protestos de junho, alvo do texto principal da coluna de hoje. Primeiro, a polêmica implantação do Mais Médicos, com a vinda de profissionais estrangeiros para o Brasil. Segundo, o fim do voto secreto no Congresso, pelo menos em parte das decisões.

NOVO PRESIDENTE
Com a posse do vereador Silveira Júnior (PSD) na Prefeitura de Mossoró, diante da cassação de Claudia Regina, o vereador Albert Dickson (Pros), presidente da Câmara Municipal de Natal, assume também o comando da Federação das Câmaras do RN, a Fecam. Mais um reforço na caminhada do parlamentar, que tem trabalhado para conquistar um mandato na Assembleia Legislativa a partir do próximo ano. É a luta.

AGENDA POSITIVA?
A governadora Rosalba Ciarlini erra ao tentar prolongar, mais do que o possível, o retorno positivo dos jogos da Copa do Mundo em Natal. Hoje, por exemplo, é fundamental uma resposta a altura ao posicionamento adotado pelos servidores da Saúde, Polícia Civil e da Educação. Mas, certamente, será melhor continuar falando do mundial de futebol. É mais fácil.

MAIS DESGASTE
Os sindicatos em questão devem reiniciar seus movimentos grevistas, que também marcaram o ano de 2013 e só foram encerrados após diversas promessas feitas pela governadora Rosalba Ciarlini. Mas, meses depois, quase nada foi cumprido pela administração estadual. Nada mais desmoralizante para uma gestão do que o reinício de greves, pior ainda se forem três ao mesmo tempo.

FOLIA REDUZIDA
A realização do Carnatal no Parque Aristófanes Fernandes reduziu a tradicional micareta natalense a uma festa para poucos. O público foi, no mínimo, 10 vezes menor. Os raros blocos não possuíam nem metade dos foliões de antigamente. Além disso, o fato de não haver cordão de isolamento nos blocos se configurou como uma injustiça para quem pagou um abadá mais caro que o outro. A festa foi uma só para todos, deveria ser o mesmo preço.

À VONTADE
Além disso, foram várias as ocorrências de pequenos furtos dentro do Carnatal, que nem foram informadas ao policiamento do local, rápido em informar a sociedade de que neste ano a folia foi uma das mais tranquilas de todas as edições. Os ladrões de carteira agiram livremente dentro do Parque Aristófanes Fernandes.

REELEITO
O empresário inglês Anthony Armstrong será aclamado, às 19 horas de hoje, para mais um mandato como presidente do Alecrim. Candidato único ao cargo, o dirigente esmeraldino participará do pleito por meio de uma video conferência, já que ainda está fora do Brasil cumprindo compromissos profissionais. A eleição do Alecrim será ralizada na sede do clube, localizada o bairro de mesmo nome.

#FORADINAMITE
Triste, para dizer o mínimo, o trabalho de Roberto Dinamite como presidente do Vasco. Ex-jogador e ídolo de muitos torcedores, carregará para sempre a mancha de ter levado o seu clube duas vezes para a segunda divisão do futebol brasileiro. Pior, comprovou que a contestada gestão Eurico Miranda, o polêmico, era bem melhor do que a sua. Lamentável.

 

GIRA MUNDO

Não há muitas palavras para descrever tamanha barbárie exibida em rede nacional durante a partida entre Vasco e Atlético-PR. A cena de animais se agredindo apenas pelo fato de torcerem para equipes diferentes é lamentável, absurda, desumana e vergonhosa. Um verdadeiro retrato da realidade do futebol brasileiro, mostrado para todo o mundo, poucos dias depois do sorteio da Copa do Mundo. Prisão aos torcedores, punição aos clubes e a CBF é o mínimo a ser feito, isso para não falar na irresponsabilidade da Polícia Militar, inexistente durante a confusão.

Compartilhar: