Receita libera nesta terça consulta ao segundo lote do IR 2014

É a primeira etapa a contemplar contribuintes que não se enquadram em grupos prioritários, como idosos e deficientes

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

A Receita Federal abre nesta terça-feira a consulta ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2014. Nesta etapa, serão devolvidos R$ 1,6 bilhão a 1.060.473 contribuintes. O dinheiro será depositado no dia 15 de julho, segundo o calendário divulgado em abril pelo Fisco.

O ajuste também contempla as declarações que ficaram retidas na malha fina entre 2008 e 2013. Com os chamados lotes multiexercício, o total de contribuintes contemplados nesta etapa chega a 1.122.154, que receberão R$ 1,8 bilhão.

Deste montante, cerca de 40% (R$ 723 mil) serão destinados a idosos e pessoas com deficiência física, mental ou doença grave, conforme previsto em lei. Este é o primeiro lote que inclui contribuintes que não se enquadram nessas condições especiais, já que a rodada de devoluções liberada em junho (R$ 1,9 bilhão) foi inteiramente destinada ao grupo prioritário.

Site mostra se contribuinte já caiu na malha fina

Para saber se sua declaração está incluída neste lote, o contribuinte deve acessar o site da Receita ou ligar para o telefone 146. A consulta também pode ser feita por meio dos aplicativos para iOS (iPhone e iPad) e Android. As informações estarão disponíveis a partir das 9h.

Já para checar se está na malha fina, é preciso acessar o extrato da declaração deste ano, disponível no portal e-CAC da Receita. O contribuinte deve ter em mãos o código de acesso gerado na página da Receita ou um certificado digital. Pelo site, também é possível acessar outros serviços, como alteração ou solicitação de débito automático para o pagamento das cotas do IR.

Quem tiver caído na restrição ainda pode acertar as contas com o Leão por meio da declaração retificadora, desde que não tenha sido intimado pelo Fisco. O procedimento é o mesmo que o da declaração normal. A diferença é que, no campo “identificação do contribuinte”, deve ser informada que a declaração é retificadora.

O contribuinte que já foi intimado não pode mais corrigir as informações e está sujeito à cobrança do imposto, acrescido de juros de mora e multa de 75% a 150% sobre o valor do imposto devido e o valor da despesa que foi usada na tentativa de fraude, segundo a Receita.

Fonte: O Globo

Compartilhar:
    Publicidade