Reclamação de Oswaldo Oliveira nos jogos é por recomendação médica

Após expulsão, técnico santista revela que recebe ordens para extravasar nos jogos

Oswaldo pediu desculpas à torcida após expulsão. Foto:Divulgação
Oswaldo pediu desculpas à torcida após expulsão. Foto:Divulgação

Expulso pela segunda vez em três semanas, Oswaldo de Oliveira pediu desculpas aos torcedores do Santos e deu uma explicação bastante curiosa para sua revolta: ele recebeu uma recomendação médica para não segurar a indignação com os árbitros. “O meu médico falou para eu não guardar, para não somatizar, que seria pior. Então eu extravaso. Quero pedir desculpas a todos, foi a segunda vez que fui expulso em tempo muito curto e isso normalmente não acontece comigo. Fico triste que isso ocorra.”

O treinador estava indignado com o árbitro Marcelo Aparecido de Souza. Foi o mesmo juiz que apitou a partida do Santos contra o Linense, pela sexta rodada do Paulista, quando os dois se estranharam. “Esse árbitro foi o mesmo que me ameaçou em Lins. Depois, me cercou na entrada do vestiário para me pedir desculpas. Mas na frente do público ele me chamou a atenção com veemência. Por isso não aceitei as desculpas.”

O treinador, que já foi muito criticado na carreira por se comportar de maneira passiva à beira do campo, diz que precisava dar um basta na situação, pois tem se sentido prejudicado pelos juízes. “Todos têm os seus limites. Eu estou segurando essa onda faz tempo, mas uma hora precisava demonstrar essa insatisfação. Claro que eu tento me controlar. Minha expectativa é sempre que as minhas atitudes ressoem, que as pessoas prestem um pouquinho mais de atenção. É isso o que eu estou querendo.”

Oswaldo pediu desculpas por seus erros diversas vezes, embora tenha afirmado que eles são justificáveis. Ele citou alguns momentos do clássico contra o São Paulo para mostrar sua irritação, como uma entrada de Geuvânio em Antonio Carlos que culminou em cartão para o santista. “Os jogadores foram em cima, o Rogério saiu do gol e o juiz aceitou. Depois agarraram o Cicinho, ele não deu falta, o São Paulo fez o contra-ataque e o Gustavo tomou amarelo por parar a jogada.”

Mas a maior bronca foi em relação a pênaltis. Ele diz que Rildo sofreu falta de Rodrigo Caio dentro da área e o juiz fez vista grossa. “Foi uma coisa muito visível.” Depois, reclamou por Marcelo Aparecido ter voltado atrás na marcação do pênalti no fim da partida. “Eu não estava mais no campo e não sei se foram informados pelo rádio de alguma coisa. Seria leviano dizer isso, prefiro falar o que tenho certeza”, disse Oswaldo, sem saber que o auxiliar levantou a bandeira para marcar o impedimento de Rildo.

Desfalque

Na próxima partida, quinta-feira, contra o Bragantino, na Vila Belmiro, Oswaldo não poderá contar com o zagueiro Gustavo Henrique, que levou o terceiro cartão amarelo. Ele lamentou a ausência de seu jogador, que ontem foi bem, e reclamou da punição ao atleta. “Os jogadores do Santos levam cartões que os adversários não levam. O árbitro teria de fazer a mesma coisa que fez comigo com os outros.”

Ele gostou da postura de sua equipe, principalmente na etapa final, quando o Santos teve a chance de marcar, mas parou em Rogério Ceni. “Tivemos um grande jogo. Achei o São Paulo melhor no primeiro tempo, o segundo foi do Santos. Tivemos as penalidades não marcadas e foi muito equilibrado. Acho que poderíamos ter saído com a vitória no clássico.”

O treinador também percebe uma evolução em Leandro Damião e aposta que seu principal atacante vai crescer nas próximas partidas. “Gradativamente ele tem tido uma participação mais firme e consistente, ajudando mais a equipe. Esse é o caminho. A tendência é que venha o entrosamento.”

Fonte:Estadão

Compartilhar: