Reformas de CMEIs atrasam início do ano letivo de crianças de Mãe Luíza

Aulas na rede municipal começaram ontem (4), mas os três CMEIs do bairro abrirão as portas na próxima semana

Previsão para reinício das aulas nesta unidade é entre os dias 15 e 20 de fevereiro. Foto: Wellington Rocha
Previsão para reinício das aulas nesta unidade é entre os dias 15 e 20 de fevereiro. Foto: Wellington Rocha

Fernanda Souza

fernandasouzajh@gmail.com

 

As crianças assistidas pelos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) do bairro de Mãe Luiza, na zona Leste de Natal, vão ter que esperar mais alguns dias pelo início do ano letivo. As atividades não começaram porque as três unidades estão passando por reformas na infraestrutura, o que adiou o reinício das aulas. Para realizar as intervenções, os três CMEIs receberam R$ 270 mil através de emenda da vereadora Eleika Bezerra.

Na manhã desta quarta-feira (5), a reportagem d’O Jornal de Hoje visitou as unidades em obras. No CMEI Padre João Perestrello, a obra estava na sua fase final, faltando apenas a limpeza e organização do espaço. De acordo com a gestora Silvana Úrsula, a reforma abrangeu a troca das telhas do teto por material de PVC, colocação de novos pisos e pintura geral dos espaços. “Agora todas as salas estão com novos pisos em cerâmica, com PVC no teto, o que vai ajudar muito a evitar alergia nas crianças porque havia poeira por causa das telhas. Ontem fizemos a limpeza, hoje será a primeira reunião com os docentes e amanhã o dia será dedicado ao planejamento. Na sexta-feira, vamos convocar os pais e informar sobre como será o ano. Apesar a obra já ter sido finalizada, o cheiro de tinta ainda está forte e como trabalhamos com crianças de dois a três anos temos medo de intoxicação. As atividades começarão na próxima segunda-feira (10)”, disse a diretora da unidade.

A professora Eliane Câmara Mangabeira contou que ao longo dos anos o CMEI vem trabalhando com muitas dificuldades. “O chão das salas era de cimento, as paredes eram úmidas, inclusive uma das professoras já chegou a levar um choque. O espaço também é pequeno e na hora de dormir duas crianças ficam em um só colchão e também há rodízio para se alimentarem, porque o refeitório é muito pequeno. A reforma é bem vinda, mas ainda há o que ser melhorado. Tivemos que fazer uma campanha junto aos empresários para conseguir um parquinho e brinquedos, mas mesmo assim, o que temos é inadequado”.

Já a professora Maria Rosa Duarte Barbalho contou que é preciso mais apoio para o desenvolvimento de um trabalho de qualidade. “No ano passado, não havia coordenação pedagógica no período da tarde e nós que realizamos desfiles cívicos, mostras culturais e outras ações pedagógicas. Vamos ter a nossa primeira reunião do ano para planejamento e temos a expectativa de mais apoio e uma maior assistência da gestão”.

No CMEI Nossa Senhora de Lourdes, a reforma estava na fase final de pintura, que deve ser finalizada na sexta-feira (7). Segundo a diretora Ana Guimarães, a expectativa é de que o ano letivo das crianças comece na segunda-feira da próxima semana. “Fizemos a recuperação da parte elétrica, hidráulica e toda a parte de alvenaria, forro e pintura. O aspecto já é de uma nova escola. Vejo como os maiores benefícios a elevação da autoestima dos professores, que vão trabalhar em um novo ambiente; a valorização por parte dos pais, que vão deixar seus filhos num bom lugar e, principalmente, a felicidade das crianças. Há um projeto pronto que engloba construção de quadra coberta e acessibilidade, mas ainda não pode ser feito porque este prédio é cedido pelo Meios e tem que ser resolvida esta questão jurídica”, explicou a gestora.

No CMEI Galdina Barbosa Silveira Guimarães, o maior do bairro, que assiste 200 crianças, as obras ainda estão sendo realizadas e devem se estender ainda na semana seguinte. De acordo com a diretora Carmem Oliveira, a reforma contempla diversas áreas do centro de Educação Infantil. “É uma reforma grande. A cozinha agora está toda de acordo com as normas da Covisa, e possuirá casa de gás, de lixo e todas as mesas do refeitório foram trocadas. Houve troca da parte elétrica, as salas de aula estão revestidas e foi feita a pintura geral das paredes e das esquadrias. Também temos novas cadeiras e mesas e o projeto todo teve preocupação com a acessibilidade, teremos rampas, guarda-corpo e pisos táteis. É mais que um banho de loja. Cheguei aqui o ano passado é a estrutura estava comprometida. O ambiente ficará bonito, acolhedor e organizado. A previsão é que as atividades sejam iniciadas entre os dias 15 e 20 de fevereiro. Sabemos que há prejuízos para pais e alunos, mas acredito que a maior parte dos pais está consciente porque a obra se transformará num benefício permanente”, enfatizou.

Margareth Jucá tem quatro sobrinhos matriculados no CMEI Galdina Barbosa Silveira Guimarães e foi à unidade em busca de novidades sobre o início do ano letivo. “Encerraram o ano antes do tempo justamente para que a obra fosse entregue até o início das atividades, marcado para o dia 04 de fevereiro, mas isso não aconteceu. Estou aqui para saber de datas, porque estamos sendo prejudicados. A cada dez dias tenho que pagar R$ 70 para uma pessoa cuidar dos meus sobrinhos. Sei que vem melhorias, mas preciso saber quando irá começar, qual é o prazo”, finalizou.

Compartilhar:
    Publicidade