Revoltado com eliminação, jornalista espanhol detona Copa no Brasil

Para Julián Ruiz, do El Mundo, clima prejudicou desempenho das melhores seleções

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

As coisas podem não estar funcionando perfeitamente durante a Copa do Mundo no Brasil, mas também ficaram longe do caos previsto antes de o torneio começar. Sem grandes problemas fora dos gramados, o Mundial tem chamado a atenção pela qualidade dos jogos e empolgado a torcida. Só que nem todo mundo está feliz.

Evidentemente triste com a eliminação da atual campeã, Espanha, ainda na primeira fase, o jornalista Julián Ruiz resolveu jogar a culpa do vexame da Roja nos organizadores da disputa. Em sua coluna publicada no site do jornal El Mundo, o profissional que diz escrever sobre futebol desde a Copa de 1970 se queixou de praticamente tudo.

“Foi o pior Mundial da minha vida. Já começou com a corrupção da Fifa ao admitir a candidatura do Brasil, que se sabia que era podre, repleta de falcatruas capitalistas, que desembocaram em protestos pelas ruas, o medo do caos nos próprios estádios, que ainda estavam inacabados. Além disso, teve horroroso calor e a umidade na maioria dos lugares. Impossível para as melhores seleções jogarem futebol. Espanha, Inglaterra, Portugal etc ficaram foram com apenas duas partidas. É um exemplo grotesco”.

Ruiz usa as críticas à Fifa feitas pelo técnico da Holanda, Louis van Gaal. A seu modo, claro, já que ele ignora o fato de o time laranja não ter sentido dificuldades com o calor ao vencer suas três primeiras partidas na competição, incluindo um sonoro 5 a 1 sobre a Espanha.

“Não me estranha que Van Gaal denunciou um Mundial que é uma m…, falando diretamente”

Como não poderia deixar de ser, insinuações sobre uma “Copa comprada” não faltaram.

“O calor e a umidade estão adulterando toda a competição, com a cumplicidade dos árbitros a serviço do poder mais corrupto, onde os dirigentes só recebem dinheiro de capitalistas brasileiros inescrupulosos ou cheques de dinheiro de países árabes (…) É o novo futebol do Terceiro Mundo, mas com dinheiro, com corrupção”.

Por fim, o jornalista ainda alfinetou Manaus, palco do empate em 2 a 2 entre Portugal e Estados Unidos, que deixou o time de Cristiano Ronaldo em situação muito complicada no Mundial. Não bastasse isso, ainda errou a grafia e escreveu “Manaos” duas vezes:

“Portugal é dez vezes melhor que os Estados Unidos, mas nunca em Manaos, onde Ronaldo parecia aquele louco chamado Fitzcarraldo, que queria construir uma ópera em Manaos, através da selva do Amazonas”.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade