RN é o 21º estado em registros de violência contra mulheres no País

No ano de 2013 houve 620 denúncias de cárcere privado e 340 de tráfico de pessoas.

65u65u56u62345345

O Rio Grande do Norte aparece na 21ª colocação do ranking nacional do Disque 180 de 2013, serviço da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) que é utilizado para denunciar violência contra as mulheres.

Em números absolutos houve 6.055 atendimentos no Rio Grande do Norte. Dentro do ranking nacional, a taxa de registro do estado foi de 373,90 por 100 mil mulheres em 2013, de acordo com o Balanço Anual da Central de Atendimento à Mulher – Disque 180, divulgado na última quinta-feira (24/4). A primeira colocação ficou com Brasília, com a taxa de 1.171,02. Em termos de porcentagem, a cidade potiguar que lidera a pesquisa é Santo Antônio, com uma taxa de 881,61 (a cidade tem 11.116 mulheres. Logo depois vem montanhas, com 817,11 (a cidade tem 5.752 mulheres) e Rafael Godeiro, com 719,42 (a cidade tem 1.529 mulheres). Natal aparece apenas em 12º, com 389,14 (a cidade tem 425.807 mulheres).

Já se for levado em consideração apenas os números de atendimentos, a capital do RN aparece em primeiro, com 1657, seguido por Mossoró, com 360, Parnamirim, com 359 e Santo Antônio, com 98. No país o número de denuncias chegou a 532.711.

A pesquisa aponta que em todo o Brasil em 2013 houve um aumento no número de mulheres que denunciaram a violência logo no primeiro episódio, chegando a 3.150, o que indica que as mulheres estão perdendo o medo de fazer denúncias assim que as agressões começam. Em 62% dos casos que chegaram ao Disque 180, a violência é cometida por companheiros, conjugues, namorados ou amantes das vítimas. Os relatos apontam que 19% das situações os agressores foram ex-companheiros, ex-maridos e ex-namorados. Apenas 6% da violência têm como responsáveis pessoas externas às relações afetivas.

Além disso, as estatísticas apontam que em 22% dos casos, as agressões acontecem no período de um mês a um ano do início do relacionamento. Em 42% das situações, a violência é diária e em 32% é semanal. Outro dado alarmante é o de que as vítimas ficam expostas a relações com os agressores por um longo período. Em 38% das ocorrências, o tempo de convívio corresponde a 10 anos. Isso significa que, em 19.753 registros, as mulheres estão em contato com os agressores por mais de uma década.

A violência física representa 54% das ocorrências e a psicológica 30%. No ano de 2013 houve 620 denúncias de cárcere privado e 340 de tráfico de pessoas. Foram registradas ainda 1.151 denúncias de violência sexual, o que corresponde à média de três ligações por dia sobre o tema.

Compartilhar: