Rosalba afirma que não está preocupada em ter ou não legenda do DEM

Governadora deu declaração política momentos após participar de solenidade de assinatura de Plano de Cargos e Salários para Saúde

76O7O67O5O5O

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

A governadora Rosalba Ciarlini (DEM), não está preocupada com as possibilidades de ter ou não, a legenda para disputar a reeleição no pleito de outubro. Foi o que ela externou momentos após participar de solenidade de assinatura do Plano de Cargos e Salários para servidores da Secretaria da Saúde e Defensoria Pública na manhã de hoje na governadoria. “Isso não faz parte das minhas preocupações”, resumiu a governadora ao ser instada pelo O JORNAL DE HOJE a falar sobre o assunto. Sobre uma possível disputa pela legenda entre ela e o senador José Agripino, Rosalba Ciarlini, afirmou: “o DEM é o meu partido. Fui eleita por esse partido 3 vezes prefeita de Mossoró e tenho conversado sempre com o senador José Agripino. O que posso reafirmar é que minha política é a do trabalho e agora estou muito satisfeita porque as chuvas voltaram”, desconversou a governadora, ao ser perguntada se seria candidata à reeleição.

Durante a reunião com defensores públicos e servidores da saúde representados pelo secretário Luiz Roberto, a governadora Rosalba Ciarlini destacou a decisão de valorizar os servidores dizendo que o seu governo está empenhado em dotar a capital de 100 por cento de saneamento, obra considerada por ela como fundamental para a saúde da população. Sobre o Plano de Cargos e Salários assinado na oportunidade, a governadora disse ser uma correção de erro do passado, inclusive implantando progressão funcional em vários níveis. Ainda sobre saneamento, Rosalba Ciarlini considerou um “escândalo” ter encontrado o Hospital Gizelda Trigueiro sem esse benefício.

ERRO E INJUSTIÇA

O secretário de Saúde, Luiz Roberto parabenizou a governadora e disse que Rosalba Ciarlini corrigiu um erro e uma injustiça de governos anteriores ao implantar o Plano de Cargos e Salários para os servidores da saúde. Ele disse também, que no atual governo foi implantado o ponto eletrônico e lançamento de faltas, o que provocou uma economia de 5 milhões de reais por mês e moralizou o serviço público com resultados positivos para a população.

Compartilhar:
    Publicidade