Rosalba quer apoio do PMDB para disputar e prevê Natal 100% saneada em 2 anos

Enquanto isso, a governadora se prepara para encarar a disputa eleitoral de 2014, quando, pela lei, ela poderá disputar a reeleição com o objetivo de conquistar mais um mandato de governadora do Estado

A candidatura de Rosalba à reeleição vem sendo especulada pela imprensa desde o final do ano passado. Foto:Divulgação
A candidatura de Rosalba à reeleição vem sendo especulada pela imprensa desde o final do ano passado. Foto:Divulgação

Alex Viana

Repórter de Política

A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) deverá ser candidata à reeleição. A candidatura dela, entretanto, dependerá ainda da posição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ao julgar os recursos da própria governadora contra duas decisões do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Norte, que a considerara inelegível e a afastaram do cargo. Hoje, a gestora é mantida no cargo por força de duas liminares, até o julgamento do mérito no TSE.

Enquanto isso, a governadora se prepara para encarar a disputa eleitoral de 2014, quando, pela lei, ela poderá disputar a reeleição com o objetivo de conquistar mais um mandato de governadora do Estado. A reeleição foi instituída em 1997, durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), com o advento da emenda constitucional número 16, que passou a permitir a reeleição apenas uma vez, para um mandato subsequente e sem restrição para um pleito não consecutivo.

A candidatura de Rosalba à reeleição vem sendo especulada pela imprensa desde o final do ano passado, quando a gestora passou a dar sinais de trabalhar por ela, através de movimentos midiáticos. Entretanto, o desgaste administrativo, em razão da deficiência na prestação dos serviços públicos e o confronto direto com categorias do funcionalismo, aliado a uma inabilidade no trato com a classe política e os demais poderes do Estado (legislativo e Judiciário) afugentou os aliados políticos, que passaram a planejar candidaturas adversárias.

Deixaram a base do governo, um a um, o PSD, o PV, o PMDB e o PR. O presidente do DEM, senador José Agripino Maia, correligionário de Rosalba, também passou a admitir que o partido irá selar o futuro da governadora, decidindo se ela será candidata levando em consideração a renovação dos atuais mandatos de três deputados estaduais e um deputado federal. Não é segredo que o DEM conversa com o PMDB e poderá não dar a legenda a Rosalba, em troca de uma posição favorável à reeleição dos deputados do DEM numa chapa proporcional com o PMDB.

Contudo, diante da indefinição do quadro eleitoral, tendo a confirmação, até agora, apenas da candidatura do vice-governador Robinson Faria, rompido com o governo Rosalba desde dezembro de 2011, a governadora e seu grupo político, que tem como mentor o ex-deputado Carlos Augusto Rosado, marido de Rosalba e atual chefe do Gabinete Civil, contemplam a possibilidade de Rosalba ser candidata – desde que a Justiça Eleitoral permita. Para tanto, Rosalba não descarta voltar a conversar com o PMDB, partido que rompeu com o governo em setembro do ano passado, alegando descompasso administrativo. Para muitos, o rompimento do PMDB com Rosalba foi de “fachada”.

PROPOSIÇÃO

Nesta semana, surgiu a primeira proposição pública deste suposto reentendimento entre Rosalba e o partido dos líderes Henrique Eduardo Alves, atual presidente da Câmara dos Deputados, e Garibaldi Alves Filho, ministro da Previdência do governo Dilma Rousseff. Através das palavras do ex-deputado federal Ney Lopes de Souza (DEM), o DEM propõe um possível acordo com o PMDB. Segundo Ney, numa eventual desistência do PMDB de apresentar candidato próprio ao governo do Estado – o nome cogitado pelo partido é o do empresário Fernando Bezerra -, o DEM abriria espaço na chapa majoritária para que Henrique e Garibaldi indicassem o candidato ao Senado e a vice-governador da chapa que teria Rosalba Ciarlini como candidata à reeleição.

“Diante da presumida recusa do ex-senador Fernando Bezerra em disputar o governo do estado pelo PMDB, seria a abertura de novo diálogo político do governo com o senador Garibaldi Alves e o deputado Henrique Alves, que nunca agrediram a governadora após o afastamento político, e mantiveram posição civilizada e elegante. Na hipótese de cogitar-se da coligação com o PMDB e caso obtenha o aval do líder do DEM, senador José Agripino, a governadora estaria disposta a oferecer os cargos de vice-governador e senador”, afirmou Ney Lopes em contato recente com O Jornal de Hoje.

Ao ser abordada na manhã de hoje pela equipe de reportagem de O Jornal de Hoje, a governadora Rosalba Ciarlini não descartou a possibilidade de manter um novo entendimento com o PMDB. A abertura de um novo diálogo com o partido dos líderes Henrique e Garibaldi foi até mesmo sugerida pela governadora, que declarou que, em nome do Estado do Rio Grande do Norte, está aberta a conversar com todos. “Eu respeito muito Ney, que é um ex-deputado, um membro do meu partido, com muitos serviços prestados ao Rio Grande do Norte. Agora, em relação à política, ainda não estou falando em 2014. Na verdade eu estou aberta a dialogar com todos, desde que seja pelo bem do Rio Grande do Norte”, afirmou a governadora, revelando que será mesmo candidata à reeleição, se a Justiça Eleitoral deixar, e que, se tiver oportunidade, voltará a conversar com o PMDB dentro do contexto da candidatura dela à reeleição.

GREVE

Ainda em contato com O Jornal de Hoje, a governadora Rosalba Ciarlini abordou a greve dos professores, considerada por ela como “mais uma greve política” da categoria. Parte dos professores entrou em greve, incentivada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTE-RN). Segundo a governadora, a preocupação maior é quanto aos alunos, que terão prejuízo com a perda de aulas. “É sim mais um a greve política. Eu me preocupo com os alunos. Que ficam sem aula. Demos reajuste aos professores de 91,1%. Os professores têm tabletes. É mais uma greve política”.

Rosalba também abordou a possibilidade de haver seca neste ano. Segundo ela, a situação é crítica em muitos municípios. “Estamos aguardando e pedindo a Deus que não seja mais uma seca. A situação é muito crítica. Já estive tratando com prefeito de Jardim do Seridó. Duas cidades estão para um colapso total, Cruzeta e São José do Seridó, porque realmente barragem secou e não tem mais”, disse.

 

Governadora prevê Natal 100% saneada em 2 anos

Natal deve ficar 100% saneada em até dois anos. Pelo menos essa foi a estimativa dada pela governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini durante visita as obras do projeto Sanear RN.

“Estamos com obras em vários cantos da cidade como o Planalto, Felipe Camarão, Quintas. Hoje Natal está com 35,6% de saneamento e temos todos os recursos garantidos. Com o andamento das obras, a expectativa é que em dois anos Natal fique 100% saneada e se torne a primeira capital do Brasil totalmente saneada”, destacou.

Além da capital potiguar, outras 17 cidades estão sendo beneficiadas pelo projeto. A intenção é de que, ao final das obras, 80% do Rio Grande do Norte esteja saneado, mas a chefe do executivo do RN não soube precisar um tempo para o fim dos trabalhos.

“Hoje temos 27,6% do Rio Grande do Norte saneado. Mas não é em todas as cidades que as obras são de responsabilidade do Governo. Em cidades com menos de 20 mil habitantes, as obras são de responsabilidade do município, onde o Governo fica apenas como parceiro e faz os projetos, já que as cidades não têm condições de fazer”, afirmou Rosalba, que ainda completou.

“Esse projeto vai trazer mais qualidade de vida, saúde, preservação do meio ambiente, recuperação dos lençóis freáticos e garantia de crescimento para o Rio Grande do Norte nos próximos 30 anos”.

 

Rosalba visitou obras na Dr. José Gonçalves, aonde está situado o prédio d'O Jornal de Hoje. Foto: Wellington Rocha
Rosalba visitou obras na Dr. José Gonçalves, aonde está situado o prédio d’O Jornal de Hoje. Foto: Wellington Rocha

O projeto Sanear RN

Lançado em junho de 2013, o projeto Sanear RN contempla, atualmente, além da capital potiguar, diversas cidades do Rio Grande do Norte, que são: Areia Branca, Assú, Goianinha, Jardim de Piranhas, João Câmara, Mossoró, Nova Cruz, Pium, Cotovelo e Pirangi, Pau dos Ferros, São José de Mipibu, Tibau do Sul e Pipa, Canguaretama, Apodi, Parelhas, São Paulo do Potengi, Macaíba e Caicó.

Os recursos obtidos para o projeto chegam a R$ 1,4 bilhão, dos quais R$ 696 milhões são destinados apenas para deixar Natal totalmente saneada.

O presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), Yuri Pinto, afirmou que mais cidades podem ser beneficiadas pelo projeto.

“Além dos recursos obtidos pelo Governo do Estado e Caern, há outros investimentos viabilizados pelos próprios municípios, com apoio decisivo da Companhia, principalmente no que diz respeito ao suporte técnico. Outras 13 cidades já estão com seus projetos de saneamento, apresentados pela Caern, em análise captar outros investimentos. A cada mês, com novos recursos, estes números mudam”.

Compartilhar:
    Publicidade