Rosalba tentará derrotar Agripino no DEM para garantir candidatura à reeleição no RN

Deputado afirma que o partido não está impedindo candidatura da governadora, mas cobra aliados

67i667i76i67i6i67i6i

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

O deputado Felipe Maia, do DEM, afirmou na manhã desta quarta-feira, ao referir-se a reunião que o partido fará na próxima segunda-feira para decidir o futuro político da legenda, que a governadora Rosalba Ciarlini terá que apresentar as condições mínimas que viabilizem a chapa proporcional e também a sua reeleição. “O partido não está impedindo que Rosalba seja candidata, mas querendo que ela mostre quais são os partidos que formarão uma aliança forte e competitiva, não só para a proporcional como também para a majoritária”, disse o deputado, candidato à reeleição. E completa o democrata: “se a governadora trouxer esses partidos aliados está resolvido e não temos nenhuma dificuldade em apoiá-la”.

No exercício do seu segundo mandato, o deputado Felipe Maia esclarece, entretanto, que o que não pode é o DEM ser punido e impor-se a não condição de disputa. E lembra: “a governadora tem compromisso com o partido e se ela apresentar condições mínimas de disputa não haverá problemas. Sem partidos aliados não será recomendável impor-se candidatura”, reiterou Felipe Maia. Nos meios políticos existe a informação de que o impasse vivenciado no DEM com posições contrárias entre o senador José Agripino, líder nacional do partido, que defende uma aliança na chapa majoritária com o PMDB e PSB, apoiando as candidaturas de Henrique Eduardo para governador e Wilma de Faria para senadora e a governadora Rosalba Ciarlini, que decidiu ser candidata à reeleição, só será definido na convenção do partido que ocorrerá em junho.

Uma fonte do DEM informou na manhã de hoje que o senador José Agripino tem maioria na Executiva Estadual do DEM, mas poderá ser derrotado na convenção que ocorrerá em junho e a governadora viabilizar sua candidatura à reeleição. A Executiva Estadual é formada pelos seguintes nomes: Anita Catalão Maia, Diego Cavalcanti Medeiros, José Agripino Maia, Maria de Fátima Lapenda Mesquita, Raimundo Alves Maia Júnior, Getúlio Nunes do Rêgo, Felipe Catalão Maia, Rosalba Ciarlini Rosado, Leonardo Nogueira, José Adécio Costa, Geraldo Gomes de Oliveira, Leonardo Nunes Rêgo, Ney Lopes de Souza, Augusto Carlos Garcia de Viveiros, Carlos Augusto de Sousa Rosado, Dinarte Vieira Diniz, José Bezerra de Araújo Júnior, Marcílio Monte Carrilho de Oliveira e João Augusto da Cunha Melo.

Instado a esclarecer o assunto, de acordo com o que preceitua a Lei Eleitoral, o advogado Fábio Hollanda afirmou o seguinte: “O órgão máximo do partido é a convenção, portanto, é quem decirá se o DEM terá candidatura própria ou não”, ressaltou, citando quem estará apto para votar na Convenção Partidária: “serão os delegados municipais do partido, os membros do Diretório Estadual e os detentores de mandato eletivo. No caso, deputados estaduais do DEM, 1 deputado federal, o senador e a governadora”.

CANDIDATO Á REELEIÇÃO

Felipe Maia, que se encontra no exercício do seu segundo mandato, confirma que será candidato à reeleição, mostrando-se confiante. “Tenho feito um trabalho sério que inclusive, foi reconhecido por uma importante revista. Tenho o direito de buscar minha reeleição”, ressalta o parlamentar, acrescentando esperar que na próxima segunda-feira o partido chegue a um entendimento.

Compartilhar:
    Publicidade