Rosalba vem aí? – Vicente Serejo

‘A governadora teve tolhido seu direito, legítimo, de defender sua administração e tentar renovar seu mandato. Mas ela está firme…

‘A governadora teve tolhido seu direito, legítimo, de defender sua administração e tentar renovar seu mandato. Mas ela está firme e breve se integrará a nossa luta’. Agora não é mais mera especulação. A declaração do deputado Betinho Rosado foi pública, registrada com fotografia, na varanda de sua casa, no bairro de Nova Bethânia, em Mossoró. E é incontestável, afinal são direitos legítimos e plenos da governadora Rosalba Ciarlini a liberdade de expressão e de escolha política.

O que se discute a partir daí é em que intensidade poderá ser sentida sua participação na luta sucessória deste ano. Desfigurada por uma desaprovação popular que perdura há quase quatro anos, e de um desgaste que a fez ser descartada por seu próprio partido, DEM, e seu maior aliado, o PMDB, parece que a governadora imagina ainda dispor daqueles 30% da força tradicionalmente atribuída à máquina governamental. É com esta força hipotética que espera gerar um aporte decisivo nas urnas.

Do ponto de vista matemático a assertiva é real. Ora, se a maioria, em média, de Henrique e Wilma sobre Robinson e Fátima gira em torno de 10% e há um contingente indeciso da ordem de 30%, claro está que há um universo a ser conquistado três vezes maior do que a diferença. E seria, portanto, um apoio fundamental. Resta saber até que ponto a hipótese seria materializável por parte da governadora, logo ela que tem produzido, e muito mais, uma usinagem negativa para si mesma.

A parte não descartável no raciocínio é a consciência de que influenciar tem sempre, apesar dos limites, um largo campo de alternativas. E nem sempre, no jogo político, é preciso uma atuação presencial para influenciar. São vários os caminhos, principalmente quando o governo tem mesmo a magia de encantar. O conceito de influência não está necessariamente preso a líderes na rua. Como não se pode subestimar a força da dádiva junto a contingentes carentes e ainda por cima viciados.

O perigo, se é que existe pudor em política, é juntar Rosalba, Robinson e Fátima no mesmo palanque, sob o mesmo pálio, e depois explicar que não é por mero interesse oportunista a presença de Fátima Bezerra ao lado do DEM, ela que alegou essa presença como impeditivo para a aliança com Henrique Alves. Um fato que pode deslegitimar o que parecia ideologicamente legítimo e tudo em nome de votos que poderão ser drenados pela governadora nascidos das cremalheiras oficiais.

Visto do outro ângulo, também é muito estranho que a governadora aceite exercer de forma dissimulada sua participação ao lado dos adversários de seus ex-aliados. Seria aceitar mais uma vez, e agora do lado da oposição, ser motivo de vergonha pública, tal como aconteceu quando o senador José Agripino a expulsou para garantir a reeleição do filho Felipe Maia a deputado federal. Que ela virá, não se pode duvidar da palavra do seu cunhado. Resta saber se resignada com mais um ultraje.

GUERRA

A paz, garantia ontem um velho bruxo da política, vai durar pouco a partir do dia 19 quando começa a propaganda na tevê. Mas certamente ganha votos quem souber usá-la como uma arma da persuasão.

CERTEIRA

Está certa a candidata Wilma de Faria quando vai às ruas para discutir suas propostas como senadora. A sociedade que marchou e protestou nas ruas não quer festa. Quer discutir os problemas e soluções.

TOQUE

Robinson Faria e Fátima Bezerra assumiram a bandeira contra o acordão levando a todas as regiões do Estado a ‘Caravana da Liberdade’. A idéia é fixar o princípio da luta dos fracos contra os fortes.

BELEZAS – I

Nas livraria da cidade a nova edição do ‘Guia das Belezas do Rio Grande do Norte’, uma criação de Márcia Monteiro e Erich Ettensperger, mostrando a Natal bonita aos turistas e também ao natalense.

CUIDADO – II

Márcia e Erich tiveram um cuidado profissional rigoroso: frequentar anonimamente os restaurantes, bares e lugares para levar ao leitor do guia informações corretas da qualidade de produtos e serviços.

FLIPIPA

Confirmada a presença do poeta e compositor Abel Silva na abertura da festa literária de Pipa nesta quinta-feira. Ele aproveita para falar sobre a vida e obra de João Ubaldo Ribeiro de quem foi amigo.

HISTÓRIA – I

O pesquisador e genealogista João Felipe Trindade, localizou e fotografou, em Fortaleza, o jazido do Coronel José da Penha. Um gradil e nele uma placa corroída pelo tempo. É a imagem de abandono.

RETRATO – II

Embora no Ceará, onde foi sepultado como herói, o jazigo retrata também o descaso do Rio Grande do Norte. Até hoje J. Da Penha não teve um lugar para repousar com dignidade na sua terra, Angicos.

ABUSO

A foto da primeira página deste JH, edição de sábado, mostrando a mureta que separa o ônibus da calçada, é um verdadeiro estrupício e um primor da estupidez diante das normas de acessibilidade.

FÉ – I

Da Oração do Internauta, edição Paulinas: ‘Que a Internet seja uma ponte que une as diferenças / um caminho para trilharmos com sabedoria, / um espaço abençoado para práticas éticas e causas nobres’.

LONGE – II

A julgar pela prática da comunicação internáutica aqui e alhures o redator da oração teve boa fé, mas parece que não conhece as práticas e causas no uso da Internet. Ou então acha sua oração milagrosa.

MEDO

Do filósofo Luiz Felipe Pondé com ‘Frouxinhos contemporâneos’, na Folha de S. Paulo de 28/07: ‘Os homens não confessam, mas morrem de medo das mulheres, principalmente quando as desejam’.

Compartilhar:
    Publicidade