Ross Brawn tenta acordar Michael Schumacher com rádio da Ferrari

O engenheiro britânico teve ligação direta na carreira vitoriosa de Schumacher e nos sete títulos mundiais que o piloto alemão conquistou na Fórmula 1

Brawn e Schumacher fizeram uma das parcerias mais vitoriosas do esporte mundial. Foto:Divulgação
Brawn e Schumacher fizeram uma das parcerias mais vitoriosas do esporte mundial. Foto:Divulgação

Internado há mais de dois meses em coma por causa de um traumatismo craniano grave, Michael Schumacher já responderia a estímulos externos, de acordo com notícia publicada pelo jornal italiano Gazzetta dello Sport. Ciente disso, Ross Brawn estaria ajudando no processo de despertar do piloto alemão, tocando reproduções do rádio de comunicação da Ferrari no tempo em que ambos trabalharam juntos.

O engenheiro britânico teve ligação direta na carreira vitoriosa de Schumacher e nos sete títulos mundiais que o piloto alemão conquistou na Fórmula 1. Brawn era diretor da Benetton nas conquistas de 1994 e 1995 e detinha o mesmo cargo na Ferrari ao longo das conquistas entre 2000 e 2004.

​De acordo com a Gazzetta dello Sport, além das reproduções de rádio feitas por Ross Brawn, a mulher Corina também sussurra junto ao ouvido de Schumacher. A imprensa europeia, contudo, é divergente ao noticiar o quadro clínico – alguns jornais apontam que o processo de recuperação do piloto alemão se encontra avançado, enquanto outros creem que apenas um milagre poderia salvá-lo.

No entanto, a equipe de Schumacher refuta tanto as notícias positivas como as negativas. Segundo a porta-voz do piloto, apenas as informações divulgadas por ela ou pelos médicos responsáveis pelo caso possuem validade – atualmente, segundo a representante, o alemão possui quadro clínico estável e está no processo de despertar do coma.

Schumacher está internado em um hospital na cidade de Grenoble, no sul da França, desde o final de dezembro. No dia 29 daquele mês, ele sofreu uma queda enquanto esquiava nos Alpes e bateu com a cabeça contra uma rocha – de tão forte o impacto, o capacete de quebrou. O piloto alemão, que completou 45 anos de idade em janeiro, já foi submetido a duas intervenções cirúrgicas para a redução da pressão intracraniana.

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade