Saiba o que fazer para a enxaqueca não estragar o seu verão

Especialista explica o aumento de crises em períodos de alta temperatura e dá dicas de como evitar esse mal

Entre as dicas para evitar uma crise de enxaqueca, está investir na hidratação e evitar o consumo de álcool em excesso, principalmente de vinho. Foto: Divulgação
Entre as dicas para evitar uma crise de enxaqueca, está investir na hidratação e evitar o consumo de álcool em excesso, principalmente de vinho. Foto: Divulgação

O verão é uma época muito esperada pela maioria das pessoas. Sol, viagens, férias, festas, diversão, descanso, são ingredientes típicos dessa fase do ano. Agora, para os portadores de enxaqueca, esse pode ser um período perigoso. O risco de crises aumenta e pode colocar abaixo qualquer plano de aproveitar essa estação.

A enxaqueca é um dos tipos mais comuns de dor de cabeça. Acredita-se que cerca de 25% das mulheres e até 10% dos homens apresentem essa patologia. A crise de enxaqueca típica traz os seguintes sintomas: dor de cabeça forte, muitas vezes lateralizada, pulsátil (latejante), associado a náuseas e intolerância ambiental (luz, cheiro e ruídos). “A crise de enxaqueca é extremamente desagradável e incapacitante. Pode durar de 4 a 72 horas e ocorrer diversas vezes ao mês. A causa básica é genética, mas existem desencadeantes hormonais e ambientais, tais como: estresse, ritmo de sono, temperatura, hábito alimentar, entre outros”, explica o Dr. Leandro Teles, neurologista formado e especializado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e membro efetivo da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Segundo o neurologista, no verão temos vários fatores de elevam a frequência e a intensidade das crises: “A cada 5º C de elevação na temperatura o risco de crise aumenta 7%. A causa disso é a desidratação, a vasodilatação e possivelmente a luminosidade. Além do calor, alteramos nosso ciclo de sono, mudamos hábitos alimentares e o grau de atividade física, isso tudo pode piorar a enxaqueca”.

É necessário analisar todo o contexto para entender a piora da enxaqueca: o paciente traz uma predisposição pessoal genética e o verão traz o calor, a luminosidade, a alimentação desregrada, o consumo excessivo de álcool, as alterações de sono, entre outros fatores. Essa mistura pode ser catastrófica.

A melhor forma de encarar o problema é com prevenção, por isso pedimos que o Dr. Leandro Teles enumere dicas para quem quer se proteger contra a enxaqueca nesse verão:

1. Hidratação: abuse da água, sucos, isotônicos, água de coco, etc;

2. Evite álcool em excesso, principalmente, vinho tinto;

3. Alimente-se de três em três horas. Prefira comidas mais naturais, de fácil digestão, com pouca gordura, condimentos e cafeína. Evite também os embutidos e queijos amarelos;

4. Proteja-se do sol e do calor: use óculos escuros, chapéu, boné, guarda-sol, ventiladores, ar condicionado, etc;

5. Procure manter certa regularidade de sono, não se privando demais e também não exagerando na dose;

6. No caso de crise de enxaqueca iniciando, afaste-se do sol e de locais muito iluminados e barulhentos, interrompa qualquer atividade física e procure descansar ou dormir. Logo no começo faça uso de medicamentos apropriados prescrito por seu médico. Compressas frias na cabeça também podem ajudar;

7. No caso de crises acima de uma vez ao mês (no verão ou fora dele), procure ajuda especializada para delinear o melhor tratamento.

Compartilhar: