Saiba o que as marcas sutis nas suas unhas dizem sobre sua saúde

Doenças como anemia, hipotireoidismo e câncer, muitas vezes deixam marcas nessa pequena parte do corpo

Com a chegada da primavera é comum que as unhas, principalmente das mulheres, ganhem maior cuidado e destaque. Mas o que muitos ainda não percebem são os sinais que esta pequena parte do corpo pode nos dar, revelando, muitas vezes, doenças de origem dermatológica, ou não. Isso mesmo! As unhas podem revelar seu atual estado de saúde.

Conforme o dermatologista, Andrei Bungart Nonino, os sinais que as unhas nos mostram são bem específicos. “O fato de o paciente apresentar uma mancha, por exemplo, não significa que ele tenha determinada doença. Os sinais são comuns, mas não específicos”, salienta. De acordo com Nonino, pessoas que têm unhas frágeis, quebradiças, sem brilho e com descolamento natural, ou seja, sem ter sofrido alguma lesão, podem apresentar problemas na tireóide. Menos comum, unhas pálidas podem indicar anemia.

A psoríase, uma doença inflamatória de pele, também pode se desenvolver nas unhas. Neste caso, segundo o dermatologista, aparecem manchas escuras e pontos de depressão, parecidos com pequenos furos. Nonino ainda destaca que alguns casos crônicos de doenças cardíacas ou pulmonares podem alterar o formato das unhas. “Chamamos de unha em colher, pois elas podem ficar tanto aneladas, quando ficam para cima, quanto curvadas para baixo”, explica.

De acordo com Andrei Nonino, existem casos de pacientes que percebem alterações e descobrem no consultório que não se trata de um problema dermatológico. “Há um mês atendi uma mulher que estava com as unhas muito secas e quebradiças, assim como seus cabelos e pele. Após realizar um exame de sangue constatamos que era hipotireoidismo”, relata. Segundo o médico, casos como este são os mais corriqueiros.

Já a presença de manchas escuras nas unhas pode denotar problemas mais graves e deve ser observada com especial atenção. Conforme o oncologista, Clodoaldo Campos manchas com tons marrons ou pretos podem indicar um melanoma, um tipo grave de câncer de pele. “Essas manchas podem aparecer em qualquer parte da pele, inclusive nas unhas. O problema é que a maioria das pessoas não se atenta que embaixo da unha também pode se desenvolver um câncer”, salienta.

Fáceis de serem confundidas com um hematoma, Campos orienta que se essas manchas marrons ou pretas forem persistentes o médico deve ser consultado, uma vez que marcas derivadas de lesões somem relativamente rápido. “Se a pessoa não sente dor e a mancha existe há seis meses, um ano, pode ser um melanoma.”

O oncologista ainda ressalta que, por ser uma manifestação pouco conhecida, muitas vezes os casos já chegam num estágio bem avançado. “Isso porque o melanoma tem um alto potencial de metástase aliado a região bem vascularizada dos dedos.”

Vale lembrar também que um câncer não se desenvolve de um dia para o outro. “Ninguém dorme saudável e acorda com um melanoma. Assim como qualquer outro tipo de câncer, ele se desenvolve gradativamente. Por isso temos de ficar atentos”, orienta.

yjtyjtyjtyj

O dermatologista Andrei Nonino explica que não é aconselhável o uso de remédios ou soluções caseiras para combater qualquer alteração que apareça nas unhas ou em volta delas, como as verrugas. “É comum pessoas que passam óleo, água sanitária ou mesmo desinfetante e quando percebem que não obteve resultado procuram um médico e querem uma solução em um mês”, diz.

Nonino afirma que somente um especialista da área pode realizar um diagnóstico preciso. “Percebeu alguma coisa diferente, a recomendação é que procure um médico.” Mas nem todo sinal deve ser visto como suspeita de algum tipo de doença. Nonino esclarece que aquelas pequenas manchas brancas que desaparecem com o crescimento da unha são normais.

Unhas frágeis devido a ressecamento também não estão relacionadas com doenças. “Essa fragilidade pode ser de origem genética, pelo frequente contato com substâncias químicas ou mesmo pelo uso em excesso de esmaltes e acetonas. É recomendado que a pessoa fique um período sem nenhum produto nas unhas”, orienta. Segundo ele, o período dessa “folga” é relativo.

Saiba como as unhas são alteradas por algumas doenças

1. Amareladas

No caso de fumantes, o amarelo vem da impregnação da nicotina – liberada principalmente sobre a unha dos dedos médio e indicador. Além disso, baixa imunidade atrai fungos, como a cândida, que também pode deixar as unhas amareladas.

2. Azuladas

Enfisema, bronquite, asma e outras doenças pulmonares dificultam a tarefa de distribuir oxigênio para o corpo. Quando isso acontece, o sangue chega a alguns órgãos e tecidos já desoxigenado – ou seja, mais azulado, o que se reflete nos vasos sanguíneos das unhas.

3. Vermelhas

Causadas por problemas de circulação ou endocardite bacteriana. Neste caso, o endocárdio (membrana que reveste o coração) é invadido por bactérias que se multiplicam e migram para outras partes do corpo, como as unhas.

4. Manchas brancas

É um sinal de deficiência alimentar, que além disso provoca unhas secas, deformadas e quebradiças.

5. Esbranquiçadas

Típicas de quem sofre de doenças do fígado, como cirrose. Com a queda da taxa de albumina, substância proteica fabricada no fígado e liberada no sangue, a lúnula cresce, dando à unha um aspecto opaco.

65u56u65u5

 

 

 

Fontes: Evandro Tinoco Mesquita, cardiologista do Hospital Pró-Cardíaco; Omar Lupi, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia; Solange Maciel, dermatologista da Sociedade de Dermatologia do Rio de Janeiro.

Compartilhar: