Sandro Pimentel integra novo “bloco da minoria” na Câmara Municipal

Vereador afirma: objetivo é qualificar debate e ter maior poder de pressão

Sandro ressalta importância da união dos vereadores: “Bloco pode obstruir matérias com quórum baixo e até exigir respeito”. Foto: Divulgação
Sandro ressalta importância da união dos vereadores: “Bloco pode obstruir matérias com quórum baixo e até exigir respeito”. Foto: Divulgação

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

 

O vereador Sandro Pimentel, do Psol, confirmou na manhã deste sábado que está sendo articulado um bloco da minoria na Câmara Municipal de Natal composto por vereadores que não têm cargos públicos no Poder Executivo e estejam dispostos a organizar votações não comprometidas com o governo municipal nem com a Mesa Diretora da Casa. “Considero importante a formação desse bloco porque qualifica o debate, terá maior poder de pressão, pode obstruir matérias com quórum baixo e até exigir respeito”, disse o vereador do Psol, prevendo que o novo bloco poderá chegar a 12 ou 13 integrantes.

Na primeira reunião compareceram os vereadores, Paulinho Freire e Rafael Motta (PROS), Hugo Manso e Fernando Lucena (PT), Eleika Bezerra (PSDC), Maurício Gurgel (PHS) e o próprio Sandro Pimentel, mas deverão aderir também nos próximos dias os vereadores Amanda Gurgel (PSTU), Marcos Antonio (Psol) e Jacó Jácome (PMN). Questionado sobre as matérias do Poder Executivo que entrarão na pauta de votação a partir da próxima terça-feira, dia 3, o vereador Sandro Pimentel admite que existem algumas consensuais, entretanto a que trata do empréstimo de 54 milhões de reais para construção do centro administrativo e da sede do Poder Legislativo precisa de mais informações.

O vereador do Psol faz as seguintes indagações. “Quantos prédios a prefeitura tem alugados e quanto paga de aluguel? Concordo com o mérito da questão, mas é preciso um posicionamento mais detalhado sobre o assunto. Tenho a informação de que metade do empréstimo que o prefeito pretende fazer no BNDES será para reformas”, observa.

 

NOVOS CARGOS

Com relação à criação de 800 cargos públicos no âmbito do município, Sandro Pimentel disse que serão apresentadas emendas para garantir a realização de concurso. Ele considera que ainda existe tempo hábil para realização de concurso público, evitando assim, o chamado “trem da alegria”. Questionado sobre a justificativa da prefeitura para contratar sem concurso visando suprir necessidades na Semtas, que estaria precisando de incrementar programas sociais, Sandro Pimentel sugere a permanência do pessoal da Ativa até que o concurso público seja realizado, inclusive, dando oportunidade para que os funcionários que estão sendo dispensados tenham oportunidade de preparar-se para o concurso ou conseguir um outro emprego.

Compartilhar: