Saúde confirma 26 casos de meningite no RN, mas descarta surto

Secretário Luiz Roberto Fonseca afirma que números apresentados estão dentro da normalidade

Luiz Roberto afirma que não há motivo para pânico e alerta para que a população esteja atenta a sintomas da doença e diagnóstico precoce. Foto: Divulgação
Luiz Roberto afirma que não há motivo para pânico e alerta para que a população esteja atenta a sintomas da doença e diagnóstico precoce. Foto: Divulgação

Alessandra Bernardo

alessabsl@gmail.com

Apesar dos 26 casos confirmados de meningite no Rio Grande do Norte nos cinco primeiros meses deste ano, sendo dez da forma meningocócica e quatro mortes, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) descartou o risco de surto da doença, durante coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (06). No mesmo período do ano passado, foram confirmados cinco casos e três óbitos causados pelo meningococo, de acordo com dados divulgados pela Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige).

O secretário Luiz Roberto Fonseca afirmou que os números apresentados estão dentro do esperado porque a meningite é uma doença endêmica, principalmente durante o período do inverno e que todos os casos notificados foram investigados pela Sesap de forma rigorosa. Ele disse ainda que, como os casos confirmados decorrentes da doença ocorreram nos municípios de Natal, Macaíba, Parnamirim, Nísia Floresta, Pureza e Ielmo Marinho, não havia relação direta entre os doentes, o que é um requisito básico para um surto.

“Não há motivo algum para pânico ou preocupação entre a população, porque é normal que tenhamos casos confirmados durante o ano. Consideramos um ato de irresponsabilidade grande de quem divulgou informações incorretas sobre a doença através das redes sociais e também não estamos escondendo nada por causa de Copa ou outra situação”, falou.

Luiz Roberto explicou que só é considerado surto quando há uma grande ocorrência de casos em uma determinada região, em um período específico. E que, obrigatoriamente, é preciso existir relação entre os casos confirmados, já que a meningite é uma doença contagiosa e transmitida através do contato direto entre um paciente e uma pessoa sadia.

“É por isso que afirmamos que não há surto algum de meningite, porque todas as 48 notificações registradas neste ano foram investigadas e não havia relação nenhuma entre as 26 pessoas que tiveram a doença confirmada. Essa história de surto está criando pânico na população, as pessoas estão com medo de irem para o trabalho, de mandar os filhos à escola, de andar no shopping, elas não querem sair com medo de contraírem a meningite”, disse o secretário.

atenta aos sintomas A meningite pode ser causada por vírus ou bactérias e, segundo Luiz Roberto Fonseca, uma pessoa pode contrair a doença por contato direto com o doente ou em situações específicas, como uma cirurgia ou acidente, por exemplo. Ele alertou que as pessoas devem ficar atentas para o surgimento dos sintomas, como febre, dor de cabeça intensa, náuseas, vômitos, rigidez da nuca, moleza no corpo, confusão mental e, em alguns casos, delírio e coma. A subcoordenadora da Suvige, Stella Leal, alertou a população para os sintomas e o diagnóstico precoce, já que a meningite é uma doença recorrente. “É preciso atenção aos sintomas, porque quanto mais rápido for o diagnóstico, mais tempo o médico terá ara introduzir o tratamento adequado. Porém, quando não tratada a tempo, pode causar seqüelas e até levar a óbito”, informou.

Compartilhar: