Secretário de Segurança quer privatizar o Serviço do Disque 190 no Rio Grande do Norte

General Eliéser Monteiro Girão, da Sesed, quer aumentar efetivo da PM nas ruas ao privatizar o serviço telefônico

u645545u54u54u5u

O Disque 190, número utilizado pela população para entrar em contato com a Polícia Militar quando está passando por alguma situação de perigo, pode ser “terceirizado”. Pelo menos essa é a ideia do secretario de segurança do Rio Grande do Norte, general Eliéser Girão Monteiro.

Atualmente, policiais são os responsáveis pelo atendimento. A ideia do secretário seria tirar esses PMs desse serviço e colocá-los nas ruas para aumentar o efetivo. “Nesse caso a empresa privada seria a responsável pelo atendimento direto à população, mas os operadores de rádio, que passam as informações para os policiais que estão nas ruas e o monitoramento das câmeras ainda ficariam na responsabilidade dos policiais”, destacou o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN (ACSP-RN), Roberto Campos.

Ainda segundo Campos, a iniciativa tem que ser muito bem estudada, pois caso contrário pode trazer problemas para a própria população. “O secretário tem falado isso como uma maneira emergencial para tirar esses policiais do atendimento e colocá-los nas ruas. Porém, geralmente quando o policial atende o 190, ele precisa passar algumas orientações iniciais para a população. Como agir em determinadas situações de risco até que os policiais cheguem ao local. Para fazer isso, acredito que a pessoa mais adequada é o próprio policial mesmo. Se for alguma empresa privada, essa pessoa pode não ter a capacidade necessária para ajudar a população naquele momento”, destacou. A reportagem do Jornal de Hoje tentou contato com o general Eliéser Girão por meio da assessoria de imprensa, mas não obteve retorno.

Nesta segunda-feira às 15h, o secretário marcou uma reunião com os representantes das associações dos Policiais e Bombeiros Militares para discutir as reivindicações da categoria. O encontro já tinha sido combinado depois do envio da Lei de Promoção de Praças para a Assembleia Legislativa na semana passada. Porém, quando a reportagem conversou com Roberto Campos esta manhã, ele disse que ninguém ainda tinha sido comunicado de nada. “Para as associações não chegou nada relacionado a essa reunião. Realmente está marcada para hoje, tanto que temos assembleia marcada para a próxima quarta-feira (7) para discutir o resultado dessa reunião. Mas até agora ninguém da Sesed nos ligou para confirmar o horário ou local”.

Ainda segundo Roberto, as associações querem que não apenas o Governo participe da reunião. “Queremos que a reunião conte com o Ministério Público, Procuradoria do Estado e todos os outros órgãos que vinham participando das reuniões. Não queremos sair da reunião só com promessas”. Dentre outros quesitos que estão sendo pedidos está o reajuste de 15% do subsídio, que há dois anos não seria feito pelo Estado, devido enquadramento dos níveis remuneratórios, pagamento do terço de férias ainda referente a 2012, integralização dos vencimentos dos que foram promovidos e ainda não recebem de acordo com a graduação, revisão da lei e reajuste da Diária Operacional, admissão de etapa alimentação como verba indenizatória, revisão do estatuto da PM em relação à carga horária e substituição do Regulamento Disciplinar da PM pelo Código de Ética, melhorias nas condições de trabalho e o fim da alimentação por quentinha.

Compartilhar: