Secretário responde sindicatos: “Não serei feito de Cristo e nem tenho tempo para eles”

General Eliéser Girão afirmou que tem buscado atender aos pedidos da categoria, mas que não pode resolver tudo de uma hora para outra

i767i67i56i6i

Diego Hervani

diegohervani@gmail.com

Em entrevista para o Jornal de Hoje nesta terça-feira (13), o secretário de segurança do Rio Grande do Norte, general Elieser Girão, falou sobre a relação com os policiais civis e militares bombeiros, que nos últimos tempos têm feito diversas reivindicações cobrando melhorias nas condições de trabalho.

“Eu não serei feito de Cristo por eles (Associações e sindicatos representativos das categorias). Todos os dias eu faço gestão de segurança. Eles não fazem gestão de segurança. Todos os dias eu estou me reunindo com comandantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Itep, Polícia Civil. Não tenho tempo para ficar me reunindo todos os dias com as associações para mostrar como está a situação das pautas deles”, afirmou. A declaração veio depois do secretário ser questionado sobre o fato dos policiais e bombeiros militares terem reclamado da falta de diálogo com o Governo para as pautas de reivindicações.

“Lamentavelmente o Governo, mais uma vez, resolveu cortar qualquer tipo de conversa conosco. Não responderam nada. Tivemos a reunião com o secretário de segurança (general Eliéser Girão) na semana passada. Apesar de estar combinado de termos essa reunião para avaliar alguma proposta do Governo, ele chegou sem proposta alguma, apenas falando que iria conversar com outras pessoas, já que aquilo não era de sua responsabilidade”. “Infelizmente eles estão querendo que a população passe por todo aquele transtorno que ocorreu em abril. Pois só quando resolvemos paralisar nossas atividades é que o Governo resolveu abrir um diálogo conosco”, frisou Roberto Campos, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN (ACSP-RN).

Eliéser informou que os pleitos de todos os manifestantes estão sendo analisados, mas que isso precisa de tempo. “As pessoas precisam entender que isso não é feito de uma hora para outra. Como falei, todos os dias eu estou me reunindo, discutindo para tentar encontrar a melhor solução. Mas tenho que fazer isso com responsabilidade. Tenho me reunido com o Tribunal de Contas, pois essa questão de promoção de praças, nomeação de comissões, tem que ser tudo muito bem tratado para não prejudicar ninguém.Também temos buscado atender aos pedidos dos policiais civis. Estamos fazendo uma gestão com responsabilidade”.

Por fim, Eliéser Girão afirmou que, em dois meses, fez algo que era esperado nos últimos 18 anos. “Conseguimos levar a Lei de Promoção de Praças para a Assembleia Legislativa, fizemos isso em dois meses de gestão, algo que eles buscavam durante anos. Também estamos buscando melhoria na estrutura das corporações. Buscando investimentos para melhorar o sistema de segurança do nosso Estado. Mas preciso que haja paciência por parte de todos. Não é de uma hora para outra que vamos resolver todos os problemas. Mas estamos buscando solucionar todos os problemas”, frisou.

Na semana passada, os Policiais e Bombeiros Militares se reuniram em assembleia e determinaram que se até o próximo dia 19 de maio o Governo apresentar uma resposta para os outros pleitos da categoria, eles irão paralisar as atividades, assim como fizeram em 22 de abril.

Dentre os pontos que estão sendo pedidos, está o reajuste de 15% do subsídio, que há dois anos não é feito pelo Estado, devido enquadramento dos níveis remuneratórios, pagamento do terço de férias ainda referente a 2012, integralização dos vencimentos dos que foram promovidos e ainda não recebem de acordo com a graduação, revisão da lei e reajuste da Diária Operacional, admissão de etapa alimentação como verba indenizatória, revisão do estatuto da PM em relação à carga horária e substituição do Regulamento Disciplinar da PM pelo Código de Ética.

Compartilhar:
    Publicidade