Segurança falha, e chilenos sem ingresso conseguem invadir o Maracanã

Invasores acabaram detidos e foram colocados sentados no chão pela segurança

 Alguns torcedores conseguiram chegar à arquibancada do Maracanã. Foto: Divulgação
Alguns torcedores conseguiram chegar à arquibancada do Maracanã. Foto: Divulgação

Um grupo de cerca de 200 torcedores do Chile causou grande tumulto dentro do Maracanã nesta quinta-feira, uma hora antes do início da partida da seleção sul-americana contra a Espanha, pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo. Sem ingressos, eles conseguiram acesso à sala de imprensa do estádio e tentaram se dispersar na multidão.

A ação não teve violência, mas no tumulto acabaram derrubando paredes divisórias onde se localizava um armário e uma televisão no local. Eles acessaram o local ao forçar uma das grades no acesso ao Maracanã e correram a esmo pelo estádio buscando refúgio, mas acabaram cercados na sala de imprensa.

A segurança agiu, apesar de muitos deles correrem para se refugiar em outros lugares, tentando sumir na multidão que já se reúne no estádio, no Rio de Janeiro (RJ), para acompanhar o jogo. Por fim, acabaram detidos e foram colocados sentados no chão pela segurança. Muitos cobriram o rosto com as bandeiras.

Em grupo de 15 por vez, os detidos foram encaminhados para o Juizado Especial Criminal (Jecrim) existente no Maracanã de lá serão responsabilizados pela polícia. O chefe de segurança do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo informou que já assistiu às imagens do circuito interno de câmeras e identificou o problema. A Fifa ainda deve se pronunciar sobre o ocorrido no Maracanã.

O problema expõe falhas na segurança do Maracanã. Há imagens de TV que mostram alguns torcedores do grupo conseguindo chegar até a arquibancada. No jogo Argentina x Bósnia, um grupo de 30 argentinos já tinha conseguido invadir o estádio. Nove foram detidos e os outros conseguiram acessar a arquibancada. O COL e a Fifa devem pedir à Polícia que comece mais cedo o cinturão de segurança em volta do estádio, que é feito apenas quatro horas antes do jogo atualmente. O jogo começou 16h e, desde 9h30, grupos de chilenos já estavam no entorno do estádio em busca de ingressos.

Houve outros incidentes, como apreensão de cambistas, por exemplo. A Polícia Militar impediu que um chileno pulasse uma grade para invadir o Maracanã perto do portão D pouco antes do jogo. Ainda segundo a PM, detectores de metais no portão C do Maracanã deixaram de funcionar por alguns minutos, provocando uma enorme fila. Muitas pessoas corriam para entrar no estádio instantes antes do jogo. E ainda havia torcedores comprando entradas quando a partida já havia começado.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade