Seguranças são os principais suspeitos pela morte de jovem em balada

As gravações mostram os seguranças portando um objeto parecido com uma arma de fogo.

Gravações mostram seguranças portando um objeto parecido com uma arma de fogo. Foto:Divulgação
Gravações mostram seguranças portando um objeto parecido com uma arma de fogo. Foto:Divulgação

O motoboy Ricardo Caggiano, de 22 anos, foi morto a tiros na madrugada da última quinta-feira (13), após confusão em uma casa noturna, na zona leste de São Paulo. Segundo testemunhas, os disparos foram feitos por seguranças do local.

Enquanto estavam na casa, o grupo de amigos de Caggiano compraram uma garrafa de vodca e quiseram levá-la para casa, o que não foi permitido. Segundo Bruno, amigo do motoboy, eles aceitaram, porém os seguranças partiram para a agressão.

Imagens cedidas pela casa noturna mostram Bruno depois de ser agredido voltando para o local e sendo contido por um grupo de garotas. Um bombeiro e cinco seguranças aparecem em outra filmagem segurando a porta de entrada, que, no momento, era chutada por alguém que não aparece no vídeo.

As gravações mostram os seguranças portando um objeto parecido com uma arma de fogo. Após 30 segundos, a câmera externa filma Bruno fugindo dos seguranças. Neste momento, Ricardo esperava no carro. É nesse instante em que pessoas que estavam na calçada se assustam e se afastam devido a um tiro disparado no local, que acertou Caggiano.

Mesmo ferido ele dirigiu 200 metros até um posto de gasolina, onde os amigos pediram ajuda. Neste momento, as câmeras do posto filmam os seguranças da casa noturna no local. Segundo Bruno, ele também teria sido alvo de dois tiros efetuados pelos seguranças, que acabaram falhando.

Caggiano foi sepultado na tarde desta sexta-feira (14) em Taboão da Serra, na Grande São Paulo. A polícia solicitou a identificação dos seguranças que aparecem nas imagens para pedir a prisão dos envolvidos.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade