Seleção pode ficar sem atacante Neymar nos mata-matas da Copa

Se tomar cartão amarelo no terceiro jogo, contra o México, atacante estará suspenso em decisão pelas oitavas de final. Em 2002, Felipão poupou Ronaldinho Gaúcho

O árbitro Nishimura dá cartão amarelo para Neymar por cotovelada no croata Modric, caído. Foto: Divulgação
O árbitro Nishimura dá cartão amarelo para Neymar por cotovelada no croata Modric, caído. Foto: Divulgação

O Neymar que decidiu a vitória sobre a Croácia na estreia da Copa do Mundo e que já se tornou o sétimo maior artilheiro da história da Seleção Brasileira também acendeu o sinal de alerta na comissão técnica para os próximos jogos do Mundial. Pelo regulamento da competição, o acúmulo de duas advertências suspende o jogador para a partida seguinte. Se tomar mais um amarelo no terceiro jogo, contra Camarões, por exemplo, o camisa 10 não poderá atuar no jogo eliminatório das oitavas de final. O adversário do Brasil pode ser a Espanha, que ontem foi goleada pela Holanda por 5 a 1 – a Seleção pega o segundo lugar deste grupo.

Depois dos 3 a 1 sobre a Croácia, Felipão minimizou a ameaça de jogar sem Neymar e foi politicamente correto ao lembrar que, primeiro, precisa garantir a classificação. Mas errou ao dizer que os cartões serão zerados depois da primeira fase. Na verdade, a contagem só recomeça na semifinal, de acordo com Congresso da Fifa em março de 2010 – a mudança passou a valer na Copa da África. Assim, se Neymar for advertido nas oitavas ou nas quartas, por exemplo, cumprirá suspensão no jogo seguinte.

“Eu tenho de pensar em classificar, talvez com mais uma vitória. Da primeira para a segunda fase, um cartão amarelo deixa de existir. Não tenho preocupação, vou jogar o segundo jogo tentando ganhar de qualquer jeito”, disse Felipão na entrevista coletiva, sendo corrigido pelo assessor de imprensa da CBF, Rodrigo Paiva, logo em seguida.

Neymar diz que está tranquilo:

“Não é o que eu queria, mas aconteceu, faz parte. Vou continuar jogando naturalmente. Se ficar pensando nisso, pode ser pior”.

Em 50 jogos pela Seleção, Neymar recebeu nove cartões amarelos, sendo cinco nos últimos 14 jogos e quatro nos primeiros 36.

Na Copa do Japão e da Coreia, em 2002, Felipão passou por situação semelhante com Ronaldinho Gaúcho. O meia tomou cartão amarelo na vitória por 4 a 0 sobre a China, no segundo jogo do Mundial. Contra a Costa Rica, com o time já classificado, Felipão não escalou Ronaldinho para evitar a suspensão nos mata-matas. Ele voltou nas oitavas de final, contra a Bélgica (2 a 0), mas foi expulso diante da Inglaterra (2 a 1) e  ficou fora da semifinal (1 a 0 na Turquia).

Na Copa da África do Sul, foram dois casos de suspensão na Seleção de Dunga. Kaká foi expulso na vitória por 3 a 1 sobre a Costa do Marfim, mas, felizmente, cumpriu suspensão no terceiro jogo, com o time já classificado, diante de Portugal (0 a 0 e liderança garantida). Voltou na vitória por 3 a 0 contra o Chile. Mais tarde, o volante Ramires tomou o primeiro cartão amarelo na estreia contra a Coreia do Norte (2 a 1). Passou em branco contra a Costa do Marfim e Portugal, mas recebeu o segundo amarelo contra o Chile e não enfrentou a Holanda na partida que eliminou a Seleção. Ele substituía Elano, que havia se machucado no segundo jogo.

Fonte: Lancenet

Compartilhar:
    Publicidade