Seletivo, 40 anos

Um dos episódios principais da dramaturgia do futebol potiguar começou há exatos 40 anos. O seletivo de três partidas entre…

Um dos episódios principais da dramaturgia do futebol potiguar começou há exatos 40 anos. O seletivo de três partidas entre ABC e América para definir o representante no Campeonato Nacional de 1974.

Natal vivia a fase frenética dos primeiros anos do Estádio Castelão e o público em clássico chamava atenção quando era menor do que 30 mil torcedores. Qualquer dúvida, há registros bem arquivados.

Em 1972, o ABC, primeiro participante do Rio Grande do Norte na divisão principal, foi suspenso por três anos de competições nacionais. O caso é de anedotário, ainda que terrível o desfecho.

Autorizado pela Federação Norte-Rio-Grandense de Desportos(FND), o clube escalou contra o Botafogo (RJ) dois jogadores suspensos, o quarto-zagueiro Nilson Andrade e o lateral-esquerdo Rildo, da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1966.

A Federação confiou no aval sem documento da CBD(hoje CBF), que não publicou a punição a Nilson Andrade e Rildo, expulsos na partida anterior, batalha de Waterloo Sertanejo contra o Ceará em Fortaleza. Sem os nomes no boletim oficial, presumiu a cartolagem, ambos estariam livres.

O amadorismo superou as trapalhadas de Renato Aragão, começando a fazer sucesso entre a meninada. Sem estar regularizado, também jogou o meia-armador Marcílio, trazido do Bonsucesso para substituir o titular Danilo Menezes, com hepatite A, do tipo benigno.

Era a penúltima partida do Nacional, o ABC cumpria tabela na rabeira da classificação e o Botafogo foi devidamente avisado de que ganharia os pontos. A delação é atribuída ao próprio técnico do ABC, Célio de Souza, e a Rildo.

O lateral visitou a delegação carioca no Hotel dos Reis Magos, então um brinco arquitetônico e não o visual de Vietnam bombardeado atual que será derrubado em função do descaso de décadas de abandono .

O Botafogo caprichou na farra com Jairzinho, o Furacão do Tricampeonato Mundial no México, o filho ilustre de Natal, Marinho Chagas, Fischer, Nei Conceição e Carlos Roberto. Acompanhados por beldades recrutadas não exatamente nos puteiros institucionais da Ribeira, os craques beberam e jogaram-se aos lençóis.

No jogo, entediados, perderam por 2×1. Alberi e Petinha marcando para o ABC. Zequinha para o Botafogo. O dia 25 de novembro de 1972 teria efeito funeral.

Punido, o ABC, com vaga garantida para o Brasileiro do ano seguinte pelo tetracampeonato estadual, viu o América ocupar seu lugar com brilho, fazendo a melhor campanha do Norte-Nordeste e conquistando a Taça Almir instituída pela Revista Placar.

Ao alvinegro, restou a excursão para a Europa e África em 1973, 102 dias de distância de sua torcida e uma epopeia de belos jogos e a natural explosão de saudade dos jogadores.

>>>

Articulações de bastidores e apelos políticos verborrágicos permitiram a anistia do ABC em janeiro de 1974, time fora de forma e com perspectiva de disputar apenas torneios sem graça.

Os dirigentes atravessaram noites regadas a uísque, pressão e o impasse: de quem seria a vaga local? O ABC estava livre e era o campeão estadual( em 1974 só começou no segundo semestre) critério usado para a indicação. Mas como sacrificar o América, já em preparação e com o cacife da bela campanha?

Uma cabeça lúcida entre as tantas desnorteadas na sala da FND no Estádio Juvenal Lamartine sugeriu e a CBD determinou que tudo fosse resolvido no lugar certo: no gramado. Quem vencesse, estaria dentro. O seletivo começava a demarcar um novo ciclo no futebol local. Mudança de ritmo, passagem de cetro.

Na primeira partida, no dia 6 de fevereiro, a torcida do ABC orou no terço de sua torcedora-símbolo, Dona Nazareth, hóspede de vários jogadores no seu Hotel Casa Grande, no centro da cidade. O América mereceu vencer mas 25. 349 pagantes saíram tensos com o 0x0.

A segunda partida foi dia 10, domingo, 30.700 pagantes no estádio. O ABC famoso de Alberi e Danilo Menezes sucumbiu a Washington, melhor da partida e autor de dois gols. Foi 3×1 para o América que jogaria pelo empate o último confronto.

A Frasqueira acordou no dia 13 de fevereiro, hora de matar ou morrer.O Castelão recebeu 42.119 almas ansiosas sem contar os mortos rompedores de tumbas. O ABC fez 1×0 com Alberi, o predestinado Washington empatou e o estádio balançou no segundo gol alvinegro, marcado pelo lateral Anchieta. ABC 2×1 e prorrogação. Em novo empate, pênaltis, final grego de ABC x América.

Aos 8 minutos do segundo tempo da prorrogação, surge o predestinado, entidade de vários deuses filhos do mistério. Um escanteio cobrado da direita com força e rebatido pela zaga do ABC.

Na meia-lua, esperando rebote trivial, o baixinho juvenil David(foto) meteu a cabeça, despretensioso. A bola encobriu o adiantado goleiro Erivan e caiu dentro da trave, sem tocar as redes. Gol do América. Classificado para o Brasileiro. Ponto de partida para a retomada da hegemonia somente recuperada pelo ABC em 1976.

David ganhou prêmios em elogios e dinheiro. Verbo farto, grana comedida. O Rei David saiu do anonimato e viveu sua glória fugaz. Jogou longos anos no América, sem projeção. Para a biografia, basta ser para sempre o herói do lendário e eletrizante seletivo.

 

América

Prioridade é o CRB.

 

Wallyson

Escreverei com calma sobre o Libertador.

 

Mandos de campo

Torcedores do ABC reclamam com base em levantamento do pesquisador Ricardo Couto. O alvinegro terá seis mandos de campo em jogos nas quartas-feiras, enquanto o América fará seis jogos aos domingos. Querem saber o porquê. Foi combinado, diz a FNF.

 

Funcionários

É dramática a situação de funcionários humildes do ABC, pessoal do baixo clero com salários atrasados e passando vexame. O dirigente executivo Rogério Marinho me disse que quem ganha até 2 mil terá o pagamento regularizado entre os dias 12 e 20. Quem ganha acima, o atrasado será negociado, pois ele disse ter pago janeiro.

 

Clécio Santos

Rogério Marinho confirmou que o ex-vereador de Ceará-Mirim e diretor do Detran, Clécio Santos, está prestando consultoria ao clube “sem remuneração.”Levantando informações financeiras. Rogério também negou a substituição de funcionários por terceirizados.

 

Sócio

Será hoje às 19 horas na Arena das Dunas ,o lançamento do novo Programa de Sócios do ABC, aposta dos dirigentes para gerar mais dinheiro para reforçar o time na Série B. A atração é o atacante Lúcio Curió.

Compartilhar: