Sem clube desde novembro, Luxemburgo só recebeu proposta de um clube

Ex-comandante da seleção brasileira, Luxa vive o período mais longo de desemprego em sua carreira

Badalado no passado Luxemburgo está desempregado há quase seis meses. Foto: Divulgação
Badalado no passado Luxemburgo está desempregado há quase seis meses. Foto: Divulgação

O filme de Vanderlei Luxemburgo no futebol brasileiro anda queimado. Tanto que o treinador recebeu apenas uma proposta desde que foi demitido pelo Fluminense, em novembro do ano passado. A oferta partiu do Sport, no início de fevereiro.

Apesar da falta de popularidade no mercado, Luxemburgo não reduziu em um centavo sua pedida habitual, de R$ 700 mil por mês de salário. O Sport afirmou que só poderia pagar R$ 350 mil mensais e a negociação terminou em menos de um dia. “Está difícil encaixar o homem”, reconhece um empresário, que tem tentado encontrar um clube grande no país.

Ex-comandante da seleção brasileira, Luxa vive o período mais longo de desemprego em sua carreira. Em mais alguns dias, ele vai completar meio ano de “férias forçadas”, algo impensável alguns anos atrás, quando era disputado pelos grandes do Brasil e do exterior.

Desde 11 de novembro do ano passado, quando o Fluminense o dispensou, o treinador recebeu duas sondagens do mundo árabe e um da China. Ele, no entanto, não pretende deixar o país para poder se manter próximo dos netos.

O mais curioso é que em São Paulo, onde mora, Luxemburgo só tem mercado no Palmeiras. O São Paulo sempre o descartou, por não gostar de treinadores que se metem em contratações. No Santos, ele é recebido com moedas pela torcida toda vez que pisa na Vila, depois de sua última passagem, em 2009. Já no Corinthians, há dezenas de conselheiros e alguns diretores que o consideram ultrapassado.

Fonte: IG

Compartilhar: