Semopi anuncia suspensão do corte de árvores até janeiro próximo

Apesar da suspensão, a obra do binário na avenida Mor Gouveia continuará em andamento

Como compensação à autorização concedida pela Semurb, a Prefeitura fará a reposição de espécimes. Foto: Heracles Dantas
Como compensação à autorização concedida pela Semurb, a Prefeitura fará a reposição de espécimes. Foto: Heracles Dantas

O presente de Natal para a arborização da capital potiguar foi a suspensão da remoção de árvores na avenida Capitão-Mor Gouveia até o próximo mês de janeiro. O ‘recesso’ estaria condicionado a uma necessidade de um projeto de reflorestamento, medida acertada em concordância com ambientalistas. Ao todo, cerca de 43 árvores foram derrubadas na avenida, segundo informações da Secretaria de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi).

A supressão de árvores na avenida Capitão-Mor Gouveia é necessária para dar lugar às obras de construção de um binário. Tal intervenção ambiental só pode ser realizada com o licenciamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semsur).  O titular da Semurb, Marcelo Toscano, informou que a medida de interrupção partiu de uma solicitação do secretário de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), Tomaz Neto.

“As razões para isso devem se explicadas pelo secretário da Semopi, que achou por bem parar a derrubada de árvores. Nós, da Semsur, somos responsáveis apenas pelo licenciamento. O projeto do binário previa essa supressão, mas também prevê o replantio”, explicou.

Em contato com a reportagem, Tomaz Neto se referiu a um acordo feito com ambientalistas. “Decidimos parar a derrubada de árvores até que o estudo de arborização naquela região seja concluído, de modo a nos dar mais garantia da arborização. A empresa responsável pelas obras no local tem até o final do mês de janeiro para nos entregar esse projeto. Até lá, não iremos proceder com o corte de árvores”, disse.

Apesar da suspensão, a obra do binário na avenida Mor Gouveia continuará em andamento. “A obra não será prejudicada. Não haverá atraso”, garantiu Tomaz Neto. As obras de mobilidade que abrangem as zonas Oeste e Sul de Natal, dentre elas a da avenida Capitão-Mor Gouveia, são imprescindíveis para a cidade no que diz respeito à fluidez do trânsito quanto ao acesso aos bairros.

Conforme divulgou a Semsur, inicialmente a obra previa a desapropriação de imóveis, mas devido a um grande clamor popular contrário a esse modelo, a Prefeitura de Natal modificou o projeto optando pelo que causasse menos impacto social. A alternativa encontrada foi a mudança de traçado com o avanço sobre o canteiro.

A Secretaria explica que como o traçado do projeto tem interferência sobre o canteiro central e não há possibilidades técnicas para a mudança, não foi possível manter os vegetais para executá-lo. Além disso, outros fatores técnicos foram observados como: vegetais com problemas fitossanitários, infestados com pragas e doenças; problemas estruturais (vegetais acarretavam problemas no leito da via); além do fato de as árvores não serem de espécie em extinção.

Como compensação à autorização concedida pela Semurb, a Prefeitura fará a reposição de espécimes, prioritariamente ao longo da via, por espécies nativas adequadas ao espaço.  Para isso, as calçadas serão arborizadas e na impossibilidade será contemplado outro local próximo à área de interferência do projeto, que esteja carente de vegetação, para ser arborizada.

Compartilhar: