Separado, Paulo Vilhena muda tom sobre Thaila Ayala e Justin Timberlake

Ator mudou o humor ao ser questionado sobre o suposto envolvimento da ex-mulher com o cantor

Paulo Vilhena se diverte com Thaila Ayala em balada. Foto: Divulgação
Paulo Vilhena se diverte com Thaila Ayala em balada. Foto: Divulgação

“Prefiro realmente só falar sobre o meu trabalho, foi o que vim fazer aqui”. Foi assim que Paulo Vilhena se mostrou ao ser questionado sobre o fim de seu casamento com Thaila Ayala e sobre a notícia divulgada nesta sexta-feira (10) de que ela seria o pivô da separação de Justin Timberlake e Jessica Biel. A declaração de Vilhena aconteceu durante o lançamento da série “A Teia”, da Globo, na manhã desta sexta, no Rio.

O tom seco e a cara fechada são totalmente diferentes do bom humor e das palavras com ar de brincadeira que Vilhena usou quando surgiram os primeiros rumores de que Thaila teria se envolvido com Timberlake, na época do Rock In Rio, em setembro de 2013. “Se pegou, mandou bem”, afirmou ele aos risos naquela ocasião.

Sempre orgulhoso do casamento moderno que dizia viver, Vilhena agora se fecha em copas. Blindado pela assessoria de imprensa e cercado por emissoras afiliadas, o ator passou a manhã fugindo do assunto Thaila. “O que eu disse para o jornal ‘Extra’ foi o que aconteceu”, resumiu ele (Vilhena confirmou a separação ao jornal e disse estar solteiro há três meses).

Na pele do bandido

Afastado da ficção desde 2011, quando fez “Morde & Assopra”, Paulinho precisou correr atrás e mergulhou fundo no universo sombrio do personagem Baroni. Antes disso, ele chegou a ser cotado para interpretar o personagem de Thiago Fragoso em “Amor à Vida”, mas a direção da Globo já tinha o bandido pronto para o ator. E uma vez na série, nada de frescura, cenas frias ou pouca emoção. Pelo clipe de 13 minutos apresentado para a imprensa durante a coletiva, o tiro rola solto e a adrenalina é incessante.

“Era preciso muita concentração para direcionar a carga emocional que as cenas exigiam. E a maioria delas era feita com uma única chance. Era tensão a todo momento, e a equipe técnica, o elenco, a direção, todos estavam focados 100%”, contou o ator. “Como eu cheguei no elenco por último, eu li e reli diversas vezes o texto para tentar entender. Pedi ajuda dos autores, do Papinha (Rogério Gomes, diretor de núcleo e geral) e eles me deram o briefing de quem era esse bandido”, falou.

Esse bandido, Marco Aurélio Baroni, é um homem de classe média alta que se encanta pelo universo do crime por conta do poder e da adrenalina que ele proporciona. Ele se torna líder de uma quadrilha procurada pelo delegado da Polícia Federal Macedo, vivido por João Miguel, e tem um calcanhar de Aquiles que atende pelo nome de Celeste, brilhantemente criada por Andréia Horta. “A Teia” tem autoria de Carolina Kotscho e Bráulio Mantovani, será composta por 10 episódios e tem estreia prevista para 28 de janeiro.

 

 

Fonte: iG

Compartilhar: