Sequência de erros

Até agora, quem mais contribuiu com a oposição para fazer crescer os escândalos em torno dos negócios da Petrobras, acreditem,…

Até agora, quem mais contribuiu com a oposição para fazer crescer os escândalos em torno dos negócios da Petrobras, acreditem, foi o próprio governo Dilma Rousseff. Primeiro que, indiscutivelmente, o pontapé inicial disso tudo foi a carta assinada pela própria presidente admitindo sua culpa e acusando um ex-diretor por fornecer informações falhas sobre a compra de uma refinaria, hoje apontada como pior negócio da história da estatal.

Depois, ao invés de atuar para agilizar as investigações e evitar um desgaste mais prolongado, o governo tenta, a todo custo, adiar a instalação da CPI ou empurrar com a barriga o dia dos depoimentos dos envolvidos nas denúncias. Pior, articulou uma Comissão para apurar as suspeitas juntamente com notícias negativas sobre o cartel do metrô de São Paulo e das obras do porto de Pernambuco, na tentativa de intimidar seus principais adversários.

Mas, de forma bastante previsível, o tiro já começa a sair pela culatra. Qualquer estudante de Direito sabe que instalar uma CPI é o direito das minorias, que desejam investigar de forma mais profunda algum tema específico, justamente o contrário do que fez o PT. Agora, vem o STF e determina a abertura do processo como solicitou a oposição, uma derrota que poderia ser evitada, bastava raciocinar um pouco.

Com a perspectiva da CPI da Petrobras, exclusiva, o governo agora cogita tentar boicotar a mesma, não indicando nenhum membro para participar da investigação. De todas, essa seria a pior decisão possível. Simplesmente, todo o processo ficaria livremente nas mãos dos oposicionistas, ávidos por fazer o governo Dilma sangrar em praça pública até o fim.

O fato é que, até agora, foi justamente a sequência de erros em atitudes adotadas pelo próprio governo que deu combustível para as seguidas denúncias em torno da Petrobras, ex-orgulho nacional. O problema agora é encontrar uma forma de fazer estas acusações se encerrarem. Um bom primeiro passo seria fazendo silenciar os próprios aliados do governo.

CAOS TOTAL

Com a interdição das avenidas que passam por baixo do Viaduto do Baldo, os motoristas que se arriscam a dirigir pelas ruas de Natal estão, de vez, condenados ao caos do trânsito da cidade. Não há mais vias para escapar de nenhum congestionamento. Problema que, se continuar crescendo, atingirá em cheio a popularidade do prefeito Carlos Eduardo.

LENTIDÃO

O problema deve cair no colo do atual prefeito por um motivo simples. Em quase um ano e meio de gestão, apenas o canteiro de obras foi instalado ao lado do Viaduto, sem jamais ter sido feito qualquer serviço para a recuperação do local. O abandono da importante via de escoamento do trânsito da cidade foi o que motivou a Justiça a interditar as avenidas. Um situação absurda e inaceitável.

DINHEIRO NA MÃO…

Para piorar a situação, no mesmo dia em que as avenidas Rio Branco e Deodoro da Fonseca eram praticamente paralisadas por ordem da Justiça, a Prefeitura anuncia a retomada da recuperação do Viaduto do Baldo por R$ 2,2 milhões, ou 24% a mais do que o valor inicialmente previsto. Mais um tiro no bom senso da população, já cansada do desperdício de dinheiro público.

… É VENDAVAL

Por falar em dinheiro indo pelo ralo, o município confirma para junho a reabertura do Parque da Cidade, inaugurado duas vezes por Carlos Eduardo na sua antiga gestão, em 2008, mas jamais utilizado pela população. Fechado há 5 anos, o local está consumindo, simplesmente, mais R$ 3,6 milhões para voltar a ter serventia. Em tempo: o projeto custou cerca de R$ 17 milhões para sair do papel anos atrás.

EDUCAÇÃO

A rede de ensino complementar, Ensina Mais, que atua em Natal há um ano, está lançando um game para Iphones e Android com equações especialmente criadas para as crianças. O aplicativo é gratuito e já está disponível para download. Há dois anos o Grupo Prepara criou a Ensina Mais, hoje uma referência em complemento escolar de Português e Matemática no Brasil. A rede possui cerca de 250 franqueados e mais de cinco mil alunos.

MÚSICA

A cantora potiguar Khrystal realiza amanhã, em Fortaleza, show de lançamento nacional do seu CD “Dois Tempos”. O espetáculo começa às 20 horas, no anfiteatro Dragão do Mar. Os ingressos custam R$ 40,00 (inteira). No dia 2 de maio, a artista volta a Natal para se apresentar no Teatro Riachuelo. Promessa de casa cheia.

CULTURA

O poeta pernambucano Erivaldo Leite de Lima, mais conhecido como Abaeté do Cordel receberá título de cidadão natalense hoje, na Câmara Municipal de Natal. A proposição é da vereadora Amanda Gurgel, e foi subscrita por George Câmara. Na oportunidade estarão presentes vários cordelistas saudando o homenageado. A solenidade começa às 18 horas.

ESPAÇO DO LEITOR

Leitor assíduo deste JH que prefere manter o anonimato, enviou e-mail para a coluna sobre frase dita por Fernando Lucena e estampada na seção Megafone do último sábado (19). “É mais fácil encontrar orelha de freira do que gente para votar em Henrique”, disse o petista. O leitor questiona: “Por que o partido do mesmo, lutou ferrenhamente para ter o seu apoio nas eleições que se avizinham?”

GIRA MUNDO

A notícia foi manchete do portal Uol esta manhã. “Após mais de 20 anos do impeachment que o tirou do poder, o STF (Supremo Tribunal Federal) deve julgar nesta quinta-feira (24) o ex-presidente e atual senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL). Acusado de receber propina para direcionar licitações de propaganda, ele pode pegar até 24 anos de prisão caso seja aplicada a pena máxima para os crimes. Segundo a denúncia do MPF (Ministério Público Federal), Collor teria chefiado um esquema, quando era presidente, para direcionar licitações de serviços de publicidade e propaganda, em 1991 e 92. Em troca, teria recebido um percentual do valor dos contratos pagos com verba pública.”

Compartilhar: