Serviços prestados às famílias foram os que mais cresceram em outubro

No acumulado de 2013, os transportes tiveram a maior variação: 10,8%

O estado que registrou crescimento mais expressivo nos serviços prestados às famílias foi o Ceará. Foto: Divulgação
O estado que registrou crescimento mais expressivo nos serviços prestados às famílias foi o Ceará. Foto: Divulgação

Os serviços prestados às famílias foram os que tiveram maior aumento da receita em outubro de 2013, em relação ao mesmo mês de 2012. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (18), por meio da Pesquisa Mensal dos Serviços, que o crescimento atingiu 12,6%, com alta de 11,5% nos serviços de alojamento e alimentação e de 19,5% nos outros serviços prestados às famílias.

O resultado do setor representa uma aceleração em relação aos meses anteriores já que, em setembro, o crescimento alcançou 9,5%, e, em agosto, 11,6%.

Estados que registraram crescimento mais expressivo nos serviços prestados às famílias: Ceará, 23,6%, Goiás, 17,6%, Rio Grande do Sul, 15% e Rio de Janeiro, 15%. O Distrito Federal teve a menor taxa: 0,3%.

O segundo melhor desempenho coube ao setor de transportes, de serviços auxiliares dos transportes e de Correios, com 9,9%. O transporte aquaviário teve o maior crescimento, de 27,1%, seguido pelo aéreo, com 21,3%, e pelo terrestre, com 8,6%. A receita dos serviços de armazenagem, de serviços auxiliares dos transportes e de Correios subiu 6,4%.

O setor outros serviços, com 9,7% de crescimento, também variou com maior intensidade que a média geral: 8,8%. Abaixo da média ficaram os serviços de informação e comunicação, que tiveram aumento da receita de 7,9% e os serviços profissionais, administrativos e complementares, com 7,2%.

No acumulado de 2013, os transportes tiveram a maior variação: 10,8%. Em segundo lugar ficaram os serviços prestados às famílias, 10,2% e, depois, os profissionais, administrativos e complementares: 8,2%. Os setores de informação e comunicação, com 6,9%, e outros serviços, com 5,5%, foram os menores. Em doze meses, a ordem se mantém a mesma, com patamares parecidos.

 

Fonte: Agência Brasil

Compartilhar: