Serviços do Procon serão direcionados para as Centrais do Cidadão

Com estrutura deficiente, prédio foi interditado por iminência de desabamento

Procom-HD

As condições precárias do prédio onde funcionam os serviços da unidade de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/RN), na Ribeira, irão mudar o atual sistema de atendimento à população. Segundo informou o coordenador-geral do órgão, Ney Lopes Júnior, todos os serviços realizados naquela unidade deverão ser suspensos ainda nesta semana, porém direcionados aos postos de atendimento instalados nas Centrais do Cidadão do shopping Via Direta, na zona Sul de Natal, e no shopping Estação, na zona Norte, já a partir de segunda-feira (10).

Conforme relatou o representante estadual do Procon/RN, a principal mudança deverá ser sentida no tempo de atendimento, já que a demanda da população em ambas as Centrais deverá intensificar. “Estou conversando com os funcionários para definirmos um novo protocolo de atendimento e estabelecer escalas de trabalho a partir da próxima semana, de modo a suprir a impossibilidade de nossa presença na sede”, explicou Ney Lopes Júnior.

Atualmente, a sede do Procon/RN na Ribeira conta com cerca de 40 funcionários, os quais precisarão ser remanejados. “Ainda não sabemos bem como faremos todos os atendimentos, já que cada posto na Central do Cidadão só comporta oito funcionários. Minha maior preocupação neste momento é em relação a segurança do nosso pessoal, mas os serviços não podem parar. Pedimos que a população entenda, caso venha a enfrentar muita espera”, destacou Ney.

A unidade sede do órgão recebe uma média de 80 atendimentos/dia, enquanto que as duas centrais atendem aproximadamente 30 pessoas. Segundo o coordenador-geral, o prédio não tem qualquer condição de abrigar alguma atividade, por oferecer riscos aos funcionários e as pessoas que diariamente transitam no local.

Uma vistoria técnica foi realizada no prédio pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte (Crea/RN) na última semana. Em laudo, o órgão apontou inúmeras questões que comprovam a precariedade estrutural e irregularidades no local, que necessita de reparos urgentes. Um dos fatores apontados pelo coordenador para realizar a interdição imediata do espaço é a iminência de desabamento do teto dos três andares do prédio, que está repleto de infiltrações e rachaduras.

Outro fator apontado foi o risco que a escada principal apresenta às pessoas que frequentam o local, pois não cumpre as normas dos padrões de segurança. Uma reunião em caráter de urgência foi realizada na manhã de hoje entre Ney Lopes Júnior, o secretário de Estado de Justiça e Cidadania (Sejuc), Júlio César de Queiroz. O resultado da reunião será apresentado à governadora Rosalba Ciarlini na tarde de hoje, quando deverá ser definida uma solução para a sede do órgão.

“A única afirmação concreta que eu posso dar é que o nosso prédio não suporta nenhum tipo de reforma. Observei o laudo emitido pelo Crea e vi que a solução deve circundar entre derrubar o prédio e construir outro no mesmo local ou alugarmos um novo espaço. Descarto completamente a possibilidade de uma reforma geral”, disse Ney Júnior.

Na opinião do secretário da Sejuc, a observação dada pelo coordenador do Procon/RN é “precipitada”. “Eu tive conhecimento do laudo, mas preciso avaliar junto à nossa equipe de engenharia todos os pontos relatados. Nessa altura do campeonato, acho precipitado dizer que o prédio não pode receber reforma”, avaliou.

“Considero a situação da sede do Procon urgente, tanto que isso já vem sendo discutido há mais de um mês. Porém, não imaginávamos que seria preciso uma interdição. Vamos avaliar o que deverá ser feito o mais rápido possível. Enquanto isso, os atendimentos nas Centrais do Cidadão é a nossa solução mais prática”, destacou Júlio César.

Compartilhar:
    Publicidade