Servidores da saúde decidem apresentar contraproposta à Prefeitura‏ de Natal

Servidores da saúde decidem apresentar contraproposta à Prefeitura‏

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Reunidos em assembleia na manhã desta quarta-feira, os servidores da saúde de Natal decidiram permanecer em greve, mas apresentaram uma contra-proposta para a Prefeitura, com o pedido de uma nova audiência.

A contraproposta dos servidores pede que o governo não crie plantões eventuais na saúde do município; que pague a mudança de nível atrasada desde 2012; e que garanta em lei a aplicação da jornada de 30 horas para a enfermagem. O Sindsaúde pede o aumento dos índices de reajuste das gratificações, de 10% para 25%, e que nenhum servidor fique de fora. Na pauta original, o Sindsaúde pedia reajustes de 15% a 66% nas gratificações, algumas congeladas desde 2006. “Estamos fazendo essa contraproposta para que o governo negocie e avance. O custo do reajuste das gratificações é muito menor do que a nova iluminação da Ponte Nova, por exemplo”, compara Célia Dantas, do Sindsaúde.

Já a proposta de criação de plantões eventuais foi apresentada pela primeira vez pela Secretaria Municipal de Saúde na segunda-feira (9), em reunião com os sindicatos, e deve ser enviada como parte de um Projeto de Lei, para a Câmara Municipal. Para o Sindsaúde, a proposta precariza as relações de trabalho. “O plantão eventual é como uma hora extra. O plantão eventual já existe no estado e o resultado é a categoria adoecendo. O correto é aumentar salários e gratificações e realizar o concurso público. Queremos que a Secretaria retire essa proposta”, afirma Célia Dantas, do Sindsaúde-RN.

Os servidores da saúde estão em greve há 58 dias. Eles permanecem em frente à Prefeitura de Natal e, há uma semana, com a adesão dos guardas municipais em greve. A Prefeitura pediu a proibição da greve da saúde, que foi negada pelo desembargador Saraiva Sobrinho. Outra ação, que pede a proibição de protestos durante a Copa do Mundo, será julgada pela Justiça comum. Na segunda (16), eles participam do ato contra as injustiças da Copa do Mundo, às 16h, em frente ao Midway.

VEJA ABAIXO A CONTRAPROPOSTA DOS SERVIDORES DA SAÚDE

1 Retirada da gratificação de plantão adicional (Plantão eventual) da minuta no Projeto de Lei que revisa a Lei 120/2010 (Plano de Cargos);

2. Pagamento da mudança de nível atrasada de 2012 (2,3%), sem avaliação de desempenho, até o segundo semestre de 2014;

3. Reajuste nas gratificações:

a) GEAUE – Reajuste de 25%, com a implementação para os níveis médio e superior. (fixo e móvel)

b) GEAON – Reajuste de 25% com a implementação para os níveis médio e superior;

c) Gratificação Específica de Atenção à Saúde Mental – Reajuste de 25% com a implementação para os níveis elementar, médio e superior;

d) Gratificação de PSF – Reajuste de 25% para os níveis médio e superior, em agosto de 2014;

e) Gratificação de Plantão – Reajuste de 30% para os níveis elementar, médio e superior.

4. Que nenhum reajuste nas gratificações ou na mudança de nível seja deduzido da VICT.

5. Garantia da gratificação para os agentes de saúde, sem condicionar o valor desta ou de qualquer gratificação à avaliação de desempenho.

6. Acrescentar no Projeto de Lei que altera a Lei 120 a garantia da jornada de trabalho de 30 horas para a enfermagem, conforme minuta apresentada pelo Sindsaúde.

7. Garantia de não punição e retirada de qualquer falta dos servidores em greve.

 

 

Compartilhar:
    Publicidade