Servidores deixam prédio da Sesap após fumaça e cheiro de queimado‏

Corpo de Bombeiros esteve no local e descartou risco de incêndio

Funcionários aguardaram do lado de fora enquanto o Corpo de Bombeiros examinava o prédio. Foto:Divulgação
Funcionários aguardaram do lado de fora enquanto o Corpo de Bombeiros examinava o prédio. Foto:Divulgação

Na manhã desta sexta-feira (14), por volta das 08h30, os servidores da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) deixaram o prédio, após perceberem fumaça e um forte cheiro de queimado. Eles desceram as escadas e aguardaram do lado de fora, enquanto o Corpo de Bombeiros examinava o prédio.

Segundo o relatório dos bombeiros, não houve princípio de incêndio. A fumaça e o cheiro de queimado seriam de madeira que estava sendo cortada no subsolo. O cheiro teria subido pelo sistema de ventilação e chegado até os andares superiores do prédio, provocando o temor de um incêndio.

Para o Sindsaúde, o episódio demonstra a situação de risco e a insegurança com a qual convivem os servidores. “Ainda bem que desta vez foi um alarme falso. Mas o risco de incêndio aqui é muito grande. Não se pode trabalhar com medo”, afirma Manoel Egídio Jr., vice-coordenador geral, que esteve no local.

Os princípios de incêndio são comuns. O último ocorreu no final de 2013, mas não chegou a ser noticiado. Em 2012, as chamas puderam ser vistas pela janelas do prédio. “Trabalho aqui há quatro anos e já tive que descer as escadas cinco vezes”, conta uma servidora, que não quis se identificar. “A parte elétrica é toda velha, os elevadores também, as colunas tem rachaduras”, denuncia outra servidora.

Em 2013, o Sindsaúde-RN entrou com uma ação na Justiça, baseado em um laudo do Corpo de Bombeiros, pedindo que o prédio fosse interditado até que as reformas fossem feitas. O pedido foi negado pela Justiça. Também não há sistema de alarme ou CIPA. O único alarme existente foi improvisado pelos próprios servidores, e acionado na manhã de hoje.

Compartilhar:
    Publicidade