Servidores do JF no RN mantêm greve e fazem caminhada nesta terça

O RN foi o sexto estado do país a parar as atividades por reposição salarial.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Após Assembleia Geral Extraordinária realizada na manhã desta segunda-feira, 1º de setembro, durante a concentração de greve, os servidores do TRE, TRT e JFRN decidiram pela manutenção e fortalecimento da greve por tempo indeterminado no Rio Grande do Norte.

Os servidores do Judiciário Federal estão mantendo apenas 30% dos serviços, desde o dia 21 de agosto. O RN foi o sexto estado do país a parar as atividades por reposição salarial.

Na quinta-feira da semana passada (28) a presidente Dilma anunciou o corte do Judiciário para 2015, a medida serviu de combustível para a categoria.  Toda a revolta e indignação pela exclusão da proposta orçamentária do projeto salarial, o PL 6613/2009, foi revertida em força, os servidores concluíram que o momento, mais do que nunca, é de luta.

A categoria entende que a greve está se fortalecendo no Estado e que o momento é favorável para pressionar por um acordo entre o Judiciário e o Governo Federal a fim de garantir o reajuste emergencial para 2015.

Caminhada nesta terça-feira

Começou nesta segunda-feira (01), em todo o país, a Semana da Indignação que segue até o dia 5 de setembro, com atos e apagões.

Em Natal será realizada uma caminhada na manhã desta terça-feira (02), saindo às 11 horas, do TRT com destino à Justiça Federal, com o objetivo de fortalecer o movimento na JFRN.

Greve afeta Judiciário Federal no RN

No TRT:

A juíza da 11ª vara do Trabalho de Natal, Lygia Maria de Godoy Batista Cavalcanti, suspendeu todas as sessões desta segunda-feira, 1º de setembro,  como também as demais programadas até o final da greve dos servidores do Judiciário Federal no RN.

Para a juíza, a greve é um direito fundamental do trabalhador para defender os direitos que entende violados considerando que, sob a ótica do direito social, é um instrumento a ser protegido especialmente na Justiça do Trabalho. Ainda na ata de audiência, a magistrada assim se pronunciou: Determino que seja Oficiada a Corregedoria, salientando que embora o prejuízo aos jurisdicionados, o certo é que não há greve sem prejuízos! A observação histórica está aí para demonstrar que as conquistas dos trabalhadores foram alcançadas após a utilização do único instrumento de luta que lhes dispõe: A GREVE.

Na Justiça Trabalhista do Rio Grande do Norte seis varas já estão com as audiências suspensas e outras duas varas devem suspender as sessões a partir desta terça-feira (02).

No TRE:

Os reflexos da greve também podem ser sentidos no tribunal eleitoral: telefonemas não estão sendo atendidos, processos administrativos não estão sendo encaminhados. As ações da eleição estão atrasadas, não em decorrência da greve, no entanto a paralisação tem contribuído para um maior atraso. Na ausência dos servidores, o serviço fica para ser realizado no retorno da paralisação. No TRE as atribuições são específicas e quando há ausência no trabalho, mesmo que por apenas duas horas durante o período de mobilização, já causa impacto negativo.

Serviço:

Caminhada de greve

Quando: 02 de setembro, terça-feira.

Horário: 11 horas

Local: Saída do TRT – Av. Capitão-Mor Gouveia, 3104 – Lagoa Nova.

Com destino à Justiça Federal – Rua Dr. Lauro Pinto, 245 Lagoa Nova.

Compartilhar: