Servidores do Tribunal de Justiça do RN ameaçam greve após a Copa

Categoria realizou uma paralisação de advertência nesta quarta-feira

Paralisacao-dos-servidores-Judiciarios--HD--(12)

O período de realização da Copa do Mundo é o prazo que a presidência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte terá para providenciar uma lei que cria a data-base dos servidores. De acordo com o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado (Sisjern), o TJRN e o órgão judiciário do Espírito Santo são os únicos que ainda não têm a data-base implantada. Entretanto, no Espírito Santo a lei já está sendo encaminhada, enquanto que no RN o órgão se nega a discutir o projeto de lei.

Em protesto, os servidores realizaram nesta quarta-feira (11) uma paralisação de advertência por 24h. “No ano passado o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) recomendou que todos os Tribunais de Justiça criassem suas leis de implantação da data-base. Até agora não temos perspectivas dessa nossa conquista. Estamos pressionando para que a presidência possa atender nossos direitos”, disse Alexandre Lima Santos, membro da coordenação do Sisjern.

Durante a manhã de hoje, parte dos servidores se reuniu na sessão de posse dos novos dirigentes do TRE, de modo a pressionar a presidência para recebê-los após a solenidade. Outros servidores se concentraram na Praça 7 de Setembro, em frente ao órgão, para ato público.

“A lei que implanta a data-base precisa ser de iniciativa do próprio TJ. Por isso nós não podemos fazer nada, a não ser esperar que eles formulem a Lei. Como estamos em período de Copa do Mundo, naturalmente haverá uma ‘evasão’ na casa. Por isso, daremos esse período para que a presidência possa discutir nosso pleito. Se nada acontecer, após a Copa convocaremos uma assembleia com indicativo de greve”, disse Alexandre.

A data-base, reajuste anual de salário, é uma recomendação do CNJ, aprovada em Sessão no dia 31/07/2012. A data-base é uma realidade para várias categorias de trabalhadores, Brasil afora e também no Rio Grande do Norte. Na última paralisação do movimento pela data-base, em 21 e 22 de maio, 400 sindicalizados compareceram ao Ato Público realizado no primeiro dia, também na Praça 7 de Setembro.

No dia seguinte, houve atos em Caicó, Mossoró e em Natal. Na capital potiguar, desde então, às segundas-feiras, os trabalhadores têm ido trabalhar vestidos com a camiseta do movimento, cuja estampa leva a frase “Data-base Já”. A expectativa da direção do Sisjern é que o número de presentes, já considerado bastante satisfatório, aumente.

Compartilhar: