Sesap discute com municípios a introdução da vacinação contra HPV

A meta do Ministério da Saúde é atingir 80% do público-alvo, composto por 5,2 milhões de meninas

A população-alvo da vacina são as meninas de 11 a 13 anos que somam um público de 88.782 mil jovens. Foto:Divulgação
A população-alvo da vacina são as meninas de 11 a 13 anos que somam um público de 88.782 mil jovens. Foto:Divulgação

Com o objetivo de discutir a introdução da vacina de HPV no calendário vacinal, a Coordenação do Programa Estadual de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP) promoveu na última terça-feira, na sede da instituição, uma reunião com as coordenações de imunização e do Programa Saúde na Escola das Unidades Regionais de Saúde (URSAPs) e municípios da Grande Natal, além de representantes da Secretaria Estadual de Educação, Doenças Agudas, Atenção Básica e DST/AIDS da Sesap. Lançada pelo Ministério da Saúde em janeiro deste ano, a vacinação será iniciada no dia 10 de março.

“Todas as unidades básicas de saúde participarão da mobilização que acontecerá no período de 10 de março a 10 de abril, contando com ações de vacinação que serão realizadas nas escolas públicas e privadas para que possamos atingir a meta de 80%. A população-alvo da vacina são as meninas de 11 a 13 anos que somam um público de 88.782 mil jovens. No Rio Grande do Norte esperamos atingir a meta preconizada pelo Ministério da Saúde”, explica a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Francisca Santos.

Segundo a coordenadora, os municípios vão criar estratégias para articular suas Secretarias de Saúde e de Educação na operacionalização da vacinação. No período de 10 de março a 10 de abril será disponibilizada a primeira dose da vacina, os municípios concentrarão ações nas escolas e postos de saúde. Após seis meses a população deverá buscar os postos para tomar a segunda dose, e a terceira deverá ser tomada cinco anos após a primeira dose. Cada adolescente deverá tomar três doses da vacina para completar a proteção.

Em 2015, a vacina passa a ser oferecida para adolescentes de 9 a 11 anos e em 2016 às meninas de 9 anos. A meta do Ministério da Saúde é atingir 80% do público-alvo, composto por 5,2 milhões de meninas. A vacina contra a Papiloma Vírus Humano (HPV) garante proteção de 98% contra o câncer de colo do útero. O vírus HPV é uma das principais causas de ocorrência da doença.

“É importante se prevenir agora, para no futuro não desenvolver o câncer do colo de útero, terceira maior taxa de incidência entre os cânceres que atingem as mulheres em todo o mundo”, explica Francisca Santos. A vacina que tem sua eficácia atestada pelo Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS) é hoje utilizada como estratégia de Saúde Pública em 51 países.

O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido de mãe para filho no momento do parto.  A Organização Mundial da Saúde estima que 290 milhões de mulheres no mundo sejam portadoras da doença. O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam anualmente o exame preventivo, o Papanicolau. A vacina não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais.

Compartilhar:
    Publicidade