Sesap e Coopmed reafirmam a manutenção das escalas de ortopedia no Walfredo

Para o Secretario Luiz Roberto Leite Fonseca, o acordo demonstra a sensibilidade dos ortopedistas

Para Luiz Roberto Leite Fonseca, o acordo demonstra a sensibilidade dos ortopedistas. Foto:Divulgação
Para Luiz Roberto Leite Fonseca, o acordo demonstra a sensibilidade dos ortopedistas. Foto:Divulgação

Na tarde desta segunda-feira (13), o Secretário Estadual de Saúde Pública (Sesap), Luiz Roberto Fonseca, esteve reunido com representantes da Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (Coopmed) e técnicos da Coordenadoria de Operações de Hospitais e Unidades de Referência (Cohur) para discutir a definição das escalas de ortopedia do Hospital Walfredo Gurgel. O encontro serviu para reafirmar o compromisso de que os serviços de urgência e emergência em ortopedia do maior hospital do Estado serão mantidos sem prejuízos à população, bem como para detalhar o quantitativo de plantões a serem contratualizados via Cooperativa para complementação da escala.

Para Luiz Roberto Leite Fonseca, o acordo demonstra a sensibilidade dos ortopedistas e o reconhecimento de que a Sesap está fazendo o possível para garantir a complementação dos profissionais e a assistência da população.

“A Secretaria vem intensificando o trâmite processual de contratação de novos profissionais via Cooperativa, através de um aditivo de contrato vigente. Estima-se que a finalização deste processo irá durar, no máximo, mais 10 dias e que os serviços serão mantidos sem prejuízos a sociedade”, disse Luiz Roberto Fonseca.

Apesar dos esforços da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) para complementação das escalas de ortopedia do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, como a publicação em Diário Oficial do Estado, da Portaria nº 452/GS- SESAP, que estabelece o remanejamento de oito profissionais, médicos ortopedistas, para a unidade, não foi possível solucionar o problema do fechamento dos plantões do maior hospital do Estado, somente com os profissionais estatutários, isso porque os oito servidores convocados para o preenchimento da escala não se apresentaram.

“A Sesap lamenta o fato dos médicos remanejados não terem se apresentado e tomará as medidas cabíveis de responsabilização para apurar o fato. O pagamento destes profissionais poderá ser suspenso”, disse Luiz Roberto Fonseca.

Fonte:Assessoria

Compartilhar:
    Publicidade