Sesap leva Controle do Tabagismo para pacientes e funcionários do HUOL

O serviço será oferecido na Casa de Saúde São Camilo de Lellis, do Hospital São Camilo e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPs)

O vício do tabaco também estabelece riscos de se contrair doenças infectocontagiosas. Foto: Divulgação
O vício do tabaco também estabelece riscos de se contrair doenças infectocontagiosas. Foto: Divulgação

O Programa Estadual de Controle do Tabagismo no Rio Grande do Norte, da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) realiza nesta quarta-feira (18), a partir das 14h, na Unidade Familiar Comunitária do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) em Natal, uma palestra para funcionários e pacientes acerca dos perigos do tabagismo.

Além da sensibilização, será trabalhado o material educativo da campanha nacional do Ministério da Saúde que alerta sobre os perigos do consumo e a iniciação precoce ao tabagismo. Ainda nesta semana, o mesmo serviço de conscientização será oferecido em Mossoró (II Regional de Saúde), reunindo os profissionais da Casa de Saúde São Camilo de Lellis, do Hospital São Camilo e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPs).

Segundo Lizabeth Guimarães, coordenadora do Programa Estadual de Controle do Tabagismo no Rio Grande do Norte, vinculado ao setor de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis (Dant), da Sesap, “o uso do cigarro está associado ao desenvolvimento do câncer de pulmão, de doenças respiratórias como a enfisema pulmonar, doença periodontal, entre outras, além de proporcionar ao organismo a exposição a doses suficientes de nicotina que causam dependência”. Ela recorda, ainda, que o vício do tabaco também estabelece riscos de se contrair doenças infectocontagiosas como herpes, hepatite C e tuberculose.

Durante a palestra, Lizabeth Guimarães ainda aproveita para alertar sobre os perigos do uso do narguilé, conhecido também como cachimbo d’ água ou shisha ou hookah. Trata-se de um dispositivo para fumar, tipo um cachimbo, no qual o tabaco é aquecido por um fogareiro onde se usa carvão para queimar o fumo e a fumaça gerada passa por um filtro de água para ser resfriada, antes de ser aspirada pelo fumante, por meio de uma mangueira.

Como qualquer outro produto derivado do tabaco, o narguilé contém nicotina e as mesmas 4.700 substâncias tóxicas do cigarro convencional. Um dos perigos atualmente registrados com o uso do narguilé são as misturas que alguns usuários estão fazendo, como o acréscimo de drogas ilícitas, líquidos inflamáveis como o álcool e alguns metais pesados que podem causar dependência química, além de grandes estragos ao organismo.

 

wger

Compartilhar: