Sesap participa de debate sobre prevenção da violência e acidentes na Copa

O evento aconteceu, simultaneamente, em todas as cidades sedes da Copa, envolvendo ainda representantes do Ministério dos Direitos Humanos, Ministério do Turismo e Polícia Rodoviária Federal, além da Secretaria Municipal de Saúde e órgãos de trânsito do Rio Grande do Norte e Natal

Foco da prevenção à violência foi tema debatido durante o evento. Foto:Divulgação
Foco da prevenção à violência foi tema debatido durante o evento. Foto:Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), através de representantes do Hospital Walfredo Gurgel, SAMU, Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica, Núcleo de Prevenção à Violência e Vidas no Trânsito e Subcoordenadoria de Ações em Saúde, participaram na tarde desta quinta-feira (23), no Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol), de uma videoconferência sobre “Vigilância e prevenção de violência e acidentes durante a Copa do Mundo”. O evento aconteceu, simultaneamente, em todas as cidades sedes da Copa, envolvendo ainda representantes do Ministério dos Direitos Humanos, Ministério do Turismo e Polícia Rodoviária Federal, além da Secretaria Municipal de Saúde e órgãos de trânsito do Rio Grande do Norte e Natal.

Segundo Stella Leal, subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, durante o encontro foi proposto a cada pasta representada que intensifique as ações de vigilância e prevenção de violências e acidentes, além de intervenções orientadas para segmentos ou grupos em situação de vulnerabilidade. O Ministério da Saúde, especificamente, propôs aos estados que executem um plano operativo de vigilância, promoção à saúde e paz no trânsito, como também o cuidado com o atendimento ao paciente.

Os participantes tiveram a oportunidade de acompanhar como estavam as ações e propostas voltadas para a promoção da saúde na Copa, além de temas que normalmente estão ligados a eventos festivos de grande aporte turístico, como  turismo sexual, pornografia e trabalho infantil, Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids. “Todos os órgãos envolvidos devem trabalhar em atividades de prevenção às violências, como capacitações, divulgação de telefones de  emergências e promoção da Lei Seca, até porque a desobediência a essa lei é sempre prejudicial à sociedade e termina  normalmente no atendimento do Hospital Walfredo Gurgel”, disse Stella Leal.

O encontro também discutiu a capacitação e educação permanente de gestores e profissionais da saúde para o desenvolvimento de habilidades de acolhimento e cuidado integral às pessoas em situação de violências, como também a identificação, notificação e acompanhamento dos casos. Outros assuntos foram também debatidos sob o foco da prevenção à violência, como a capacitação de gerentes de estabelecimentos de funcionamento noturno, operadores de transportes públicos e turismo, garçons, agentes de segurança pública e privada, entre outros profissionais.

Compartilhar: