Seu cão é muito barulhento? Conheça a coleira anti-latido; Ela funciona!

Segundo fabricantes, a coleira produz um som inofensivo para a audição do cão, não causa danos

coleira-anti-latido

O uso da coleira anti-latido é, no mínimo, polêmico e ainda não se tem uma posição concreta quanto ao assunto. Alguns recomendam, outros contraindicam, mas a verdade é que o item é fabricado e vendido, sim.

Antes do dono optar por usar uma coleira anti-latido no cão, precisa estar bem informado em quais casos a coleira é útil e o mais importante é consultar um especialista, pois muitas vezes o latido excessivo do cão tem causas que podem ser melhoradas, como o relacionamento com outros humanos e cães ou mesmo uma questão de re-educação.

Os tipos de coleira anti-latido

A mais conhecida é coleira que dá choque no cão. Entretanto, há outros tipos disponíveis à venda no mercado. Vejamos algumas:

  • Coleira anti-latido com recurso sonoro

Essa coleira é a mais popular no Brasil. A coleira possui um dispositivo acoplado na coleira, movido à bateria, que é acionado ao sentir as vibrações das cordas vocais quando o cão late, ao receber as vibrações o dispositivo emite um som. Esse som incomoda o cão, que tende a não latir para evitar de ouvir o tal som. A intensidade do som pode ser alterada, ficando até um volume mínimo que não perturbe tanto o cachorro, mas ainda produza o efeito anti-latido desejado pelo dono.

Segundo fabricantes, a coleira produz um som inofensivo para a audição do cão, não causa danos, o que incomoda o cão é a intensidade do som, que apesar de baixo para nós, é relativamente alto para a capacidade auditiva canina.

  • Coleira anti-latido com impulso eletrônico

Essa é a famosa ‘coleira de choque’, muito popular nos Estados Unidos e na Europa. Na verdade, a coleira não emite exatamente um choque, mas sim uma descarga mínima de 6v.

  • Coleira anti-latido com spray de odor

Esse modelo não é popular no Brasil, mas é utilizado lá fora. O dispositivo funciona como nas outras coleiras, ou seja, ele capta o latido pela vibração das cordas vocais, mas, diferentemente das outras, essa coleira borrifa citronela no focinho do cão. O cheiro forte da citronela causa uma espécie de mal-estar no cão e ele tende a não latir para evitar o tal odor.

Cuidados e observações ao optar pela coleira anti-latido

No Brasil não é necessário ter aprovação veterinária para que o dono compre uma coleira anti-latido, entretanto é recomendado ao menos consultar um veterinário antes de fazer a escolha. O motivo é simples: algumas vezes o comportamento de latido excessivo do cão pode ser corrigido sem a coleira.

A Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária ainda não tem uma posição definida sobre recomendar ou não o uso da coleira anti-latido, portanto a regra geral antes de adquirir uma é bem simples: consulte um profissional.

Se o seu cão late muito na ausência da família e incomoda os vizinhos, por exemplo, não adianta muito optar pela coleira anti-latido. Essa coleira não deve ser usada como uma coleira simples, o dia todo, todos os dias, ela deve ser usada somente em ocasiões que você precisa evitar que o cão fique latindo.

Após dez dias de uso como treinamento, o cão vai associar o som, impulso eletrônico ou o cheiro de citronela como um ‘não’, uma proibição para latir, então saberá que ao estar com a coleira, não deve latir. Entretanto utilizar a coleira anti-latido diariamente não é recomendado, não deve se tornar um hábito, mas sim um recurso em situações de necessidade.

No caso do incômodo de vizinhos, a coleira anti-latido não deve ser encarada como solução. Há técnicas comportamentais que podem tratar quadro de solidão do cão, que é o que o atinge quando passa muito tempo sozinho em casa e acaba latindo muito. Se o cão está acostumado a ficar sozinho e passa horas latindo, uma hora o dono volta. Isto o leva a crer que se latir, o dono volta. Este é um problema comportamental que pode ser resolvido por um adestrador.

Outras vezes a causa do latido é de estresse por mudança de ambiente, pela chegada de um animalzinho novo ou variação na dinâmica da casa. Tudo isso pode ser resolvido com adestramento.

O motivo do latido excessivo pode ser variado, por isso é altamente recomendado que o dono leve o animal em um veterinário antes de optar pelo uso da coleira anti-latido.

Lembramos que este artigo é exclusivamente informativo. A recomendação do CachorroGato, em relação a cães que latem muito e causam problemas aos seus donos, é sempre a busca pela orientação com um profissional em comportamento animal, somente ele possui a capacitação para saber quais os procedimentos ideais a seguir com o seu pet!

 

Fonte: CachorroGato

Compartilhar: