Show do Roupa Nova resgata quatro décadas de pop rock em Natal

Repertório também tem temas novos, lançados durante cruzeiro pelo litoral carioca e paulista, em 2012

65u5u56u5q4wtt

Conrado Carlos

Editor de Cultura

É raro um brasileiro com mais de 20 anos de idade que desconheça alguma música do Roupa Nova. Desde 1980, os cariocas participaram de dezenas de trilhas de novelas (dentre as quais, Guerra dos Sexos, Roque Santeiro, Rainha da Sucata, etc), além de serem os responsáveis pelas gravações originais do tema do Rock In Rio e o da vitória de Ayrton Senna. Quer mais? Então experimente cantar “Eu perguntava do you wanna dance” ou “Quando a paixão não dá certo, eu não me permito chorar” e me diga se sua vida não entra em uma ordem cronológica que resgata amores, infância, horas diante da tevê, Diretas Já, Era Dunga, É Tetra!, domingos de Fórmula Um, ou seja, tudo que aconteceu entre os anos 1980, 1990 e 2000. Para bem ou para o mal, eles também compõem a trilha de nossas vidas.

Por isso, na noite desta sexta-feira (18), no instante (21h) em que Paulinho, Serginho, Nando, Kiko, Cleberson e Ricardo subirem ao palco do Teatro Riachuelo, para o show Cruzeiro Roupa Nova, algo mais que acordes e melodias conhecidas estarão no ar – é a banda com a formação original mais longeva do Brasil. “O cara pode até não gostar, achar brega, mas jamais desmerecer a importância do Roupa Nova na música brasileira. Eles representaram e representam muito para o pop. Surgiram numa época de transição política com temas românticos e pra galera dançar nas festas. Isso marcou muito”, diz o empresário Paulo Inácio Teixeira, fã confesso dos autores de Dona, regravação que o grupo fez do tem de Sá & Guarabira para a antológica viúva Porcina (Regina Duarte).

A base para o show em Natal é o documentário gravado durante uma viagem em um transatlântico pelo litoral do Rio de Janeiro e de São Paulo, em 2012. Com arranjos acústicos, fez parte das comemorações de 30 anos de carreira. Com cerca de 01h30 de duração, traz as conhecidas músicas, bem como versões de sucessos mundiais, como ” Só Olhei Você” (“My Eyes Adored You”) e “Nossa Canção” (“My Sentimental Friend”). “Eu tenho o DVD e vejo direto. O cenário é muito bonito, faz com que a gente se sinta lá no navio”, garante Paulo. Na expectativa pela apresentação, ele reviu o orçamento deste mês e pretende adquirir os cinco DVDs relançados em um box comemorativo do aniversário da banda, Roupa Nova Music – As Imagens de um sonho, que ainda é acompanhado por um EP com seis músicas inéditas.

A ideia é transpor os três dias de sol e música por Santos, Búzios e Ilha Bela para uma noite na capital potiguar. Famosos como bons cantores e instrumentistas (Paulinho e Serginho Herval se revezam nos vocais, mas os seis integrantes comparecem ao microfone em linhas harmônicas que os diferenciam dos correlatos nacionais), eles venderam mais de 10 milhões de discos e ganharam um Grammy Latino, em 2005. A promessa de cenário e iluminação grandiosos animam Paulo, que ressalta o profissionalismo do Roupa Nova. “Quem já viu algum show deles ao vivo sabe o quanto eles se entregam, o quanto se doam para o público, mesmo com todos acima dos 60 anos. É pop rock da melhor qualidade, como não se faz mais hoje em dia”.

Compartilhar:
    Publicidade